Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

terça-feira, 29 de julho de 2014

O Botafogo é uma fortaleza e sua torcida jamais se renderá. Por que não te calas, Assessor do Pastor?

Está rolando na Rede um texto apocalíptico e irresponsável de um assessor de um Pastor. Respeito o rapaz, o site onde o texto foi publicado, nada entendo de economia, mas amigos que entendem dizem que é uma tremenda roubada e que não se sustenta. E uma tremenda arma para os inimigos. É de botafoguenses assim que o Botafogo não precisa. Errado ou não, o BLOG contexta e repudia este texto abaixo.

Algo há, algo há.

"Economista diz que Botafogo deixará de existir em breve. Entenda!

MANIFESTO E AVISO A TODOS OS SÓCIOS E CANDIDATOS A PRESIDÊNCIA DO BOTAFOGO:

Para quem não me conhece, meu nome é Bernardo Santoro, sou sócio-proprietário do clube (mat. 400333), mestre em direito (UERJ) e pós-graduado e mestrando em economia (UFM-OMMA), prof. de Economia e Direito da UFRJ, Diretor-Executivo do Instituto Liberal do Rio de Janeiro e Assessor de Políticas Públicas do PSC, tendo escrito o plano de governo do candidato do PSC à Presidência da República, Pastor Everaldo Pereira, além de escrever regularmente artigos sobre economia, política e direito para mais de 50 jornais do país. Sou colunista do site Canal Botafogo e um dos primeiros Loucos pelo Botafogo.

Quis apresentar meu currículo de antemão para dar legitimidade ao que vou escrever agora.

Em 2011, eu previ basicamente tudo o que está acontecendo agora. No artigo abaixo, de 22/12/2011, eu deixei claro que sem responsabilidade administrativa e no passo da época, o Presidente Assumpção entregaria o clube com mais de meio bilhão de reais em dívidas e que naquela época já estávamos “vendendo o jantar para comprarmos o almoço”. O artigo na íntegra está com link abaixo:

http://www.canalbotafogo.com/coluna.php?vendendo-o-jantar-para-comprar-o-almoco

Ainda em 2011, eu resumi o que era necessário fazer para impedir a falência do clube: (i) responsabilidade administrativa; (ii) democracia com sócio-torcedor com direito a voto; (iii) futebol integrado; (iv) engenhão popular; (v) institucionalização da relação entre torcidas organizadas e clube; (vi) cisão total entre clube social e futebol; e (vii) participação em todos os esportes olímpicos com atletas formados na base, ainda que com times fracos, para fortalecer a marca de clube multi-desportivo com atuação social. O artigo na íntegra está com link abaixo:

http://www.canalbotafogo.com/coluna.php?perspectivas-para-2012-e-2014

Esses pontos agora parecem ser unânimes para todos os candidatos, seja Durcésio, Carlos Eduardo (meu amigo pessoal), Vinícius (outro amigo, embora mais afastado), Marcelo ou Mantuano.

Só que eu tenho uma notícia realística para todos vocês: o tempo passou. Há três ou seis anos atrás era possível salvar o clube com esse receituário. Hoje não é mais. Com uma dívida acima de 700 milhões de reais, sendo mais de 200 milhões em dívidas tributárias, ela é impagável.

Se hoje fizéssemos um empréstimo a juros de 5% ao ano para pagarmos todas as dívidas do clube, reduzindo assim nosso pagamento de juros de maneira radical, para pagamento em 25 anos, precisaríamos, apenas para pagá-las, de algo em torno de 8 milhões de reais por mês.

Sendo nossa receita ordinária (descontadas as vendas ocasionais de um ou outro jogador, que nem faz tanta diferença assim) algo em torno de 8 milhões de reais por mês, precisaríamos canalizar todas as nossas receitas para pagamento de dívidas, nos restando absolutamente nada para pagamento das despesas correntes atuais do clube.

Para que fosse possível pagar a atual dívida do clube e nos manter com um time minimamente decente, precisaríamos que as novas receitas do clube (melhor uso do estádio, naming rights e programa de sócio-torcedor) gerassem pelo menos 80 milhões de reais anuais, o que eu acho impossível de acontecer, e mesmo assim sem ter expectativa de ser campeão nacional ou internacional do que quer que seja.

E eu estou falando aqui do melhor dos mundos, ou seja, achar algum louco que quisesse nos emprestar 700 milhões de reais a juros de 5% ao ano, o que é impossível. Na prática, essa conta seria muito maior.

O que eu prevejo que irá acontecer daqui pro futuro: o próximo Presidente será um novo Borer, pois em algum momento perderemos novamente a sede do clube para dívidas, mesmo que o Proforte seja aprovado e o Botafogo participe dele, mesmo destacando que nossa relação dívida financiada/receita anual não fecha o cálculo atuarial, ou seja, hoje o Botafogo estaria fora do Proforte. Lembro que as dívidas trabalhistas e cíveis não são abarcadas pelo acordo e suas execuções continuam. Ainda que voltássemos ao ato trabalhista, agora não teríamos como arcar com 15% das nossas receitas brutas mensais.

A insolvência civil do clube hoje é, na minha opinião, inevitável, e o Botafogo já morreu, por culpa de qualquer um, menos minha, pois sempre estive do lado certo, em todos os momentos. Isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde, e resta saber quem vai controlar esse processo, se os associados ou os credores.

Se forem os credores, é possível que esse processo dure anos e o clube deixe de disputar campeonatos durante esse período, vindo a deixar de existir em médio prazo como clube grande. Se forem os associados, podemos vir a garantir que a atividade futebolística do clube não cesse durante esse período.

Lembro que tal situação se deu com clubes tão grandes quanto o Botafogo, como Napoli, Fiorentina e Glasgow Rangers.

Esse cenário apocalíptico só não acontecerá nas seguintes situações: (i) se realmente houver uma ANISTIA das dívidas tributárias dos clubes, como era o projeto original substituído pelo projeto do Otávio Leite; (ii) se algum(ns) abnegado(s) investir(em) a fundo perdido algo em torno de 150 a 200 milhões de reais apenas para pagamento de dívidas. E mesmo assim ainda precisaríamos de muito esforço administrativo/fiscal por pelo menos 15 anos, com times fracos e sem títulos.

Como não acredito em “Sócio-Noel”, precisaremos tomar uma posição forte em relação ao futuro do clube. O tempo de salvar o clube através de responsabilidade administrativa e ST com voto acabou. Insistir com isso é adiar o futuro com uma morte lenta, dolorosa e que pode resultar em mais vergonhas esportivas.

Escrito isso, e reiterando que nada do que está acontecendo hoje é culpa minha, pois sempre fui oposição a tudo isso e crítico inconteste, daqui a três anos eu já posso voltar a dizer: eu avisei.

Fonte: Facebook Bernardo Santoro"

10 comentários:

MARCO CAMEJO disse...

Paret, Paulo Victor Vianna e FOGO F..


DANDO CONTINUIDADE AO DEBATE INICIADO EM POST ANTERIOR...


Eu já sou mais radical: EU NÃO QUERO O PROFORTE...tudo bem que com este sobrariam 20 milhetas nos cofres rubro-negros, mas eu não estou falando apenas do meu time, tô falando do futebol como um todo.


Assim como ocorreu com a timemania que anistiou dividas com esse discursinho de dar saúde financeira aos clubes pra alguns anos depois os cartolas terem se aproveitado e aumentado as dividas, deixando inclusive de pagar as parcelas da timemania o mesmo acontecerá com o PROFORTE.

Pra mim o caminho é a lei de responsabilidade do esporte que vem justamente substituir o PROFORTE. Entendam:


1. PROFORTE: Absolvição de 90% das dividas dos clubes e os 10% restantes pagos em 20 anos( ex: flamengo passaria a dever míseros 70 milhões e teria 20 anos pra pagar, uma baba não!!) Não preve qualquer punição a clube que volte a ficar devendo e os dirigentes que provocarem as dividas não seriam culpados.


2. LEI DE RESPONSABILIDADE: todas as dividas ( INSS, FGTS, IRRF, IRPJ, TIMEMANIA...) seriam unificadas numa divida apenas e esta seria paga em até 25 anos. O projeto ainda prevê que o clube tenha que apresentar todas as certidões negativas um mês antes das competições iniciarem e punição a dirigentes que não pagarem dividas de sua gestão.


http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2014/04/02/camara-estuda-projeto-que-obriga-clubes-a-pagar-100-das-dividas.htm

Marcos Paret disse...

Também aqui...

http://forum.esporte.uol.com.br/economista-diz-que-botafogo-deixara-de-existir-em-breve-entenda_t_3125585


Quando vi ontem no facebook (foi o primeiro contato com esta palhaçada), pensei em 'largar' um sonoro "fdppqpvtncvpcdcrlho" mas pensei melhor e vi que o silêncio era a melhor resposta.

Nasci sob os auspícios de 58, vivi já intensamente a fase 67 a 73 e, claro, seguia como em peregrinação ao Maracanã entre 76 e 88 (nossa última taça oficial foi a hoje chamada Taça Rio em 1976) e, por 13 anos, vi de tudo o que poderia provocar falência e fechamento e o que vi foi uma torcida apaixonada e apoiando o time a cada jogo, a cada momento.


Calem-se suas Magdas!


______________________


Ah! Este ano tem eleições no clube.

Thomas Beta disse...


Ora, PC, não se preocupe com essas coisas.

São apenas verdades. Nada que um bom discípulo do Sandro Moreyra deva dar atenção.

Mantenha o foco no que importa, ou seja, o livro sobre o Carioca de 1944, vencido pelo Flamengo.

No mais, tentem manter esse Mamute...

Vai ajudar muito na Era do Gelo que se avizinha.

Wesley Machado disse...

E mais esta, PC: http://www.fogaonet.com/noticia-em-destaque/juiz-relata-que-sheik-e-edilson-nao-podiam-jogar-classico-bota-pode-perder-pontos/

FOGO F disse...

Fazer o cálculo de desembolso para o pagamento de uma dívida, considerando as diversas variáveis financeiras, é um beabá para qualquer profissional que lide com finanças. Olhando somente este aspecto é óbvio que o Botafogo e diversos clubes brasileiros são insolventes. Infelizmente a situação do Botafogo deve ser uma das piores, senão a pior, entre os clubes brasileiros depois destas desastradas gestões do Maurício Assunção. Porém, extinguir um clube que é patrimônio da humanidade, como o Botafogo, representa uma opção destrutiva e estúpida, tanto do ponto de vista financeiro quanto do ponto de vista da cultura e do futebol. A única forma de abater parte da dívida seria através da venda dos imóveis do clube, mas o montante não chegaria próximo da dívida total pois seu terreno mais valioso, o de General Severiano, tem limitações fortes de gabarito para construção. Mesmo liberando para a construção de mais uma torre na região não seria suficiente. Então, do ponto de vista financeiro seria um tiro n`água. Se a receita liquidar o patrimônio as dívidas trabalhistas e outras não serão pagas e vice-versa.

Não deve ser esquecido que o futebol brasileiro é uma bagunça e é apropriado por todo tipo de mafioso, de "empresários", de cartolas e uma rede de TV. Se tivesse organização e alguma forma de democracia e de transparência, o futebol poderia ter um faturamento no mínimo duas vezes o atual, por baixo. Apesar da importância social, cultural e econômica o governo nunca interferiu regulamentando a atividade para protegê-la do crime, da ineficiência e da manipulação. O governo sempre foi omisso.

Então está na hora de impor regras. Com este poder de barganha bilionário o governo pode mandar cartolas como M.A. às favas, pode mesmo perdoar parte das dívidas e parcelar o restante, ou mesmo perdoar toda a parte do governo, desde que haja uma reformulação radical no futebol e não este "proforte" do M.A., da CBF e dos cartolas. Reformulado, o futebol passaria a render impostos ao governo em nível bem maior, assumiria compromissos na educação e no desenvolvimento do esporte além de voltar a contribuir para a cultura e alegria do povo brasileiro.

Esta idéia de que o Botafogo morreu vinda deste coroinha de Pastor só poderia ter origem em alguém de algum instituto "Liberal", origem semelhante à dos economistas que assessoram M.A. e que no passado, no governo FHC, assessoraram a venda da Companhia Vale do Rio Doce com os minérios do Brasil por US$3,2 bi para os amigos e dizem, cinicamente, até hoje, que foi um bom negócio. Que essa gente não venda o Botafogo!

Paulo Victor Viana disse...

Wesley,

Mais uma prova da desorganização da CBF.

Quanto a isto estou tranquilo, pois o BID da CBF não serve pra nada mesmo e o sistema indicava que o Heverton-Portuguesa estava apto a jogar e mesmo assim perdeu 3 pts pra salvar o mengo!

Vamos ver se o STJD tem dois pesos e duas medidas!

Paulo Victor Viana disse...

Camejo,

Também concordo com você, perdoar 90% das dívidas seria dar um atestado de impunidade pra todos esses picaretas que administraram os clubes brasileiros ao longo dos últimos 40 anos. É um tapa na cara da sociedade, imagina as pequenas e médias empresas que tem que seguir com suas obrigações fiscais e quando são mal administradas o governo confisca até as cuecas.

O caminho é esse mesmo pagar o que deve em 25 anos mesmo com juros baixíssimos. E quem for podre que se quebre!

Porém, como disse no post anterior, estamos em período eleitoral e vai aparecer muito politico querendo ser o pai da criança da anistia das dívidas dos clubes. E além disso, como vivemos uma dualidade politica no Brasil PT X PSDB, pois a proposta do Otavio Leite vai de encontro ao do PT, reafirmo que como um bom governo populista a tia Dilma irá na TV dizer que perdoou a dívida dos clubes e cair nos braços da nação como salvadora do futebol brasileiro.

Pra finalizar, apesar de não concordar, acredito que o que vai vingar será o PROFORTE e os únicos vitoriosos serão os Mauricios, Edmundos, Bebetos, Klebers, Patricias, Palmeiros, Scwartzs, Euricos, Kalils da vida que enriqueceram ilicitamente das entidades os quais amamos tanto!

Pablo disse...

Amigos, venho dizendo aqui há tempos que o cerco ia apertar contra o Botafogo. O futuro repete o passado, nesse nosso museu de novidades.

O Golpe do Engenhão foi a repetição do Golpe de General Severiano na década de 70. O Botafogo em crescimento consistente desde Bebeto , passando pelos primeiros 5 anos do Assumpção, divisões de base recuperadas, a maior contratação da história do futebol brasileiro, Clarence Seedorf, um time consistente "ameaçando" ser campeão. A torcida que mais cresce. Culminou com "O Gigante Voltou", num maracaneike lotado.

Quando sofremos o golpe do Engenhão, o Assumpção avisou, me lembro bem: "estamos ferrados, mas vamos à luta". Ato contínuo veio a tal expulsão do TRT. O tal desembargador do TRT segue a 7 meses pedindo "vistas" da proposta do Botafogo, apoiada nas sugestões do próprio tribunal.

Agora sabemos que com a aproximação de uma definição sobre o Engenhão, visto que os jogos olímpicos estão batendo à nossa porta, a corda iria apertar o nosso pescoço.

Sabemos que conselheiros estão sendo pre$$ionados a entregar o Engenhão. Assim como na década de 70, a desculpa será a "quitação de dívidas". Isso se não tomarem outros patrimônios nossos junto, tipo Severiano e Mourisco...

A torcida e sócios do Botafogo precisam saber interpretar o momento histórico que estamos vivendo. As eleições serão em novembro. Vamos parar de brigar na midia. É isso que ela quer. Reparem a enxurrada de notícias negativas. Não lhes parece exagerado? Até o Pinóquio Góis foi regatar uma ação da Fila contra nós.

Tenho parentes que torcem para times comuns e lhes digo que andavam muito angustiados. Agora estão bastante aliviados. Para eles, o Botafogo enfim parou.

Parem, pensem.

Abs
Pablo

FOGO F disse...

Há muita gente contra o clube mais charmoso do Brasil, o que mais cedeu jogadores para a seleção brasileira. Porém não podemos eximir esta Diretoria de suas responsabilidades. Direções assim, superficiais e desagregadoras, que atacam gratuitamente outras Diretorias e procura se apropriar de méritos que não são seus não servem ao Botafogo.

Se esta Diretoria não tivesse pisado na bola os inimigos do Botafogo não estariam com tanta munição.

Será que a interdição do Engenhão não foi um mal que veio para bem? Um bem com o qual os inimigos do Botafogo não contavam. Explico: com as receitas do Engenhão provavelmente o endividamento feito por esta Diretoria teria sido muito maior. Desde 2009 o Botafogo deixou de pagar (sonegou) 95 milhões. Ora, o "name writing" do Engenhão que seria feito no ano passado renderia no máximo 30 milhões. Com esta grana na mão o M.A. teria se endividado em pelo menos mais 60 milhões.

Paulo Victor Viana disse...

E a tendência de falência de outros clubes é maior quando entrar em vigor a nova cota de TV pra 2016-2019.

O futebol brasileiro como um todo está fadado a falência e a oportunidade de mudar isso é agora com a intervenção do governo. Em 1999, o governo Italiano interviu no pagamento da TV para as entidades esportivas baseou-se em três itens: 1. 40% do valor dividido em partes iguais a todos os times; 2. 30%: será repartido devido ao desempenho no Calcio; 3. 30% pelo tamanho da torcida no país.

A discrepância é tremenda que o melhor time brasileiro da atualidade o Cruzeiro irá receber 110 milhões a menos que flamengo e corinthians!

A culpa pela falência do nosso futebol é creditada a rede Globo que financia e suborna dirigentes corruptos como Mauricio Assumpção.

Em toda sociedade justa existe a livre concorrência de mercado, caso houvesse uma concorrência contra a Rede Globo a tendência seria um maior equilíbrio entre os clubes. Porém, a Globo/CBF não permite isso!