Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Que o Flamengo tem lá as suas mutretas, sabemos bem; mas, cá entre nós, que esse São Paulo é um dos clubes mais escrotos do País, isso é


Por que tricolores de uma maneira geral têm a mania de botar olho grande nas coisas dos outros? Mas esse São Paulo exagera. E não é de hoje. Gaviona todo mundo. E o que é o São Paulo? Um clube sem charme, cheio de dinheiro e emergente que ganhou muitos títulos graças ao poder econômico e se acha. Mas que brasileiro lembra do São Paulo quando pensa em times paulistas. É mais fácil lembrar de Corinthians, Palmeiras e Santos.

Peguei pesado mesmo. Mas cansei da atitude de dirigentes do Botafogo de nos últimos anos ter se curvado a esse clube sem sal e cedido Juninho, Joilson, André Lima, que acabaram se enterrando lá; e, mais recentemente, o Antônio Carlos.

XEXÉU VAI ADORAR ESTE POST. Mas eu não poderia ficar na minha com mais essa notícia.

Dando no lancenet.

6 comentários:

Fabio Fernandes disse...

Olá, PC!
Falou tudo... É disparado o time mais sem graça do país. Como dizia o nosso Saudoso Carlos Drummond: "E que me perdoem os que têm apenas títulos" www.euvistoacamisadogalo.com.br

Marcos Paret disse...

Putzz.

Não tenho mesmo medo do que afirmo.

Apesar de o nosso ex entregão ter cometido a primeiga cagada de domingo, ainda bem que nos dias atuais eles vão de Alan Kardec e de Antonio Carlos.

Pior é na época em que o Botafogo não tinha base financeira alguma e se reestruturava. Eles vinham aqui como iam a um supermercado, escolhiam e levavam.

O último, para azar deles, foi um balão apagado (atleta de um jogo só - contra o Vasco no Engenhão) - Cortêz.

Paulo Victor Viana disse...

E a "espanholização" do futebol brasileiro promovido pela TV Globo, o que acha disso Pc?

O atual campeão brasileiro recebendo 3 vezes menos que um time que ficou em 16o lugar no Brasileirão 2013.

http://terceirotempo.bol.uol.com.br/noticias/reportagem-espanholizacao-na-tv-assusta-futebol-brasileiro

pc guimarães disse...

Pois é, Paulo Victor. Mas eles, os beneficiados, acham tudo isso normal. O negócio é se dar bem. ÀS favas com a ética.

santos disse...

Mini Dossiê São Paulo (de memória - ok, um pouco de Google também, rs)

1977 – A Ditadura (que os tricolores do Rio e de SP adoram) manipula a data do julgamento disciplinar e impede Reinaldo, do Galo, de jogar a final contra o SP. O atleta manifestava opiniões políticas contra o regime.

1981 – SP perdia para o Botafogo por 2x0. No intervalo, a porrada comeu. O time do Botafogo, arbitragem, todo mundo foi agredido por seguranças do Tricolor. Na época nem era comum time ter segurança em campo. No segundo tempo, o SP baixou a porrada e virou o jogo na marra, com direito a gol de pênalti logo no começo, pois o juiz de bobo não tinha nada.

2012 - Final da Sul-americana contra o Tigre, no Morumbi. Covarde agressão dos seguranças do SP que encurralaram os argentinos no vestiário. Os jogadores do Bambi, claro, não se envolveram. Foram preservados para o segundo tempo.

2013 - Semifinal da Sul-Americana. São Paulo manobra nos bastidores para tirar o jogo contra a Ponte Preta, do Moisés Lucarelli. O jogo, inclusive, já estava marcado pra lá, quando a diretoria do SP iniciou o chilique e alegou falta de segurança.

O São Paulo vive muito o extra-campo. Ele já tinha feito isso contra outro time pequeno, mas agora não me recordo e estou com preguiça para procurar.

Mas, fora isso, podem perguntar a qualquer ex-jogador. Jogar uma partida decisiva no Morumbi é como jogar em estádio de time pequeno. As práticas são as mesmas: cortar a água do vestiário do visitante, deixar os ralos entupidos, pó-de-mico nos bancos e hostilidade desde o momento em que o visitante chega. Não é à toa, um dos títulos do Vasco que mais me orgulho foi o Brasileiro de 89, em pleno Morumbi.


Vascão 2014

santos disse...

Ah, sim. Eu já ia esquecendo do aliciamento das divisões de base. "Agentes" do São Paulo observam os meninos da base de outros times. Ao invés de procurar os clubes, eles procuram diretamente as famílias dos meninos, invariavelmente, pessoas humildes. Prometem mundos e fundos para os pais dos garotos e insuflam os mesmos a tirar seus filhos dos clubes sob qualquer alegação. Tudo isso para evitar ter de indenizar o clube formador.

Vascão 2014