Livro sobre o Sandro Moreyra

Livro sobre o Sandro Moreyra
PRÉ-LANÇAMENTO - 22 DE AGOSTO - GENERAL SEVERIANO

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sábado, 16 de novembro de 2013

É assim que se ganha jogo de times pequenos. Botafogo 4 a 0 Atlético do Paraná. Na bola, sem lances duvidosos


Esse é o Glorioso. E é assim que se ganha time pequeno. E não aquilo que aconteceu contra o Bahia, a Ponte Preta, a Portuguesa e o Framengo.

Não vi. Estou ouvindo o finalzinho. A tempo de saber que o juiz que acaba de dar um cartão estranho pro Bolívar!!!

11 comentários:

Celso Ricardo disse...

PC, o árbitro preparou esta expulsão do Bolívar.Sem a menor necessidade, chamou a atenção do atleta diversas vezes no jogo e deu um cartão vermelho absurdo.
O Furacão estava com a cabeça na decisão da Copa do Brasil contra o Império do Mal? Conhece o neco? "Necomigo" não, o problema é deles...

Rubro Negro disse...

Puxa se até botinha consegue vencer de goleada o Furacão com dois gols do pereba do bruno mendes, posso dizer que o Flamengo já e Campeão.

Luis disse...

Alguém duvida que o Framengo vai sentar amanhã pra prejudicar o Botafogo? Hoje o Bolivar foi expulso só porque o juiz era framenguista e ficou irritado ao ver um time rubro-negro tomando olé

Léo disse...

Excelente partida, não só pelo resultado em si, mas pela dedicação, vontade e companheirismo em campo.

Aí, a gente fica se perguntando: como pode o time melhorar tanto de um jogo para o outro?

Só pode ser babaquice interna, porque ninguém aprende ou desaprende a jogar bola em meia-semana.

Vamos em frente.

Daniel Victor disse...

Chegou o momento de torcer por nixon, frauches, walace, luizantonho, cazeduardo e cia limitadissima?!??

Marcos Paret disse...

Fala PC.

Fui lá e, claro, levei a minha pequena pé quente e assim, não deu outra. Aquele Botafogo que esculachou o Galo e venceu seguidamente Santos, Cruzeiro e uma Ponte Preta ainda competitiva fora de casa no início do campeonato voltou inteiro hoje.

Ninguém jogou mal. Gabriel, na minha modestíssima opinião, estava em tarde de Clodoaldo (lembra?). Como aquele garoto jogou hoje, que categoria, como driblava e passava. Renato chapéu (o primo do Rui) "maestrou" aquele meio de campo a ponto de o belo time paranaense não conseguir dar a chance de que o Jefferson fizesse sequer uma defesa mais difícil.

Não sei se ainda dá tempo mas se OO for esperto e perceber quando deve tirar o Mattos de campo, não temo o jogo contra o S. Paulo e no encontro GrêmioxGoiás, estará sim a nossa chance de Libertadores.

Marcos Paret disse...

A lamentar caro jornalista, apenas um pequeno grupo de marginais travecados de torcedores profissionais.

Com camisetas aonde se lia a inscrição "...Eu digo - nada mudou", INVADIRAM um canto do setor sul no intervalo postando-se de pé ante todos os que ali estavam sentados e com inúmeros fortões (que inclusive tentaram até peitar um policial que chegou para fazê-los se sentar), ameaçavam os pais de família e fingiam torcer. Ante as reclamações para que se sentassem, respondiam...

QUER VER JOGO SENTADO FICA EM CASA NO SOFÁ, PORRA!

Falavam olhando diretamente no olho de quem reclamava.

O tal policial quase ficou desmoralizado pois todos se sentaram aos poucos mas um deles ainda tentou, na marra, continuar de pé à frente de um senhor com uma menininha.

Ficou claro para mim que eram encomendados por gente que foi lá para esperar "babar" e com isso, tocar o terror mas, assim como nós, insistentes, fomos surpreendidos de forma positiva por uma derrota (esperada) que se transformou em vitória espetacular, para esta corja de gente à toa, a canoa virou pois o motivo para o qual se prepararam não veio e assim, procuraram descontar a sua decepção em torcedores do bem.

Pelo que vi das camisas de torcida, eram da baixada e tinha algo como 'tocar terror' no símbolo do tal uniforme, às costas. Eu tentei fotografar a cara do marginal-chefe mas não pude. Até tirei minha filha dali faltando 4 minutos para o fim do jogo e, pasmo, vi o tal fortão-chefe levando uma conversa com um dos policiais nos corredores abaixo da arquibancada, como a justificar uma possível reação da segurança ou seja, não assistem ao jogo e sim, apenas estão ali para defender interesses estranhos e nebulosos.

Investiga aí, PC!

Marcos Paret disse...

Cheguei do estádio ainda com a incumbência de publicar no meu blog, vi os gols num empastelamento dos diabos na TV e só agora estou vendo as imagens com mais detalhes.

Já viram A DESUNIÃO do elenco do Botafogo?

Perceberam como andam INSATISFEITOS COM O OSVALDO lá no clube (imagem do gol do Elias)?

E a BRONCA COM O SEEDORF (imagens no gol do camisa 10)?


O único disse-me disse que deve mesmo haver no elenco é uma rusga Jefferson Seedorf mas como um não precisa passar bolas para o outro, o time, agora voltando a jogar bem, vai muito bem obrigado.

MARCO CAMEJO disse...

"É assim que se ganha jogo DE TIMES PEQUENOS..."


friso: "...jogo de times pequenos..."

Eis que, enfim, nosso amigo blogueiro postou algo verdadeiro:

Botafogo e Atlético-PR, dois times pequenos.


Parabéns PC, pela brilhante manchete e por, enfim, admitir a verdade.

Fabio Fernandes disse...

Olá, PC!
Azar/incompetência, tem limites... Não quero acreditar que o Botafogo irá ficar fora da Libertadores.

Marcos Paret disse...

Às vezes fica-se a pensar até onde vai a seriedade no futebol.

Primeiro, a emissora que manda "esconde" os 3 jogos da briga pela Libertadores, um, jogaço, no sábado e os outros dois na noite do domingo, para transmitir, no horário das 5 do domingo, os da briga pelo rebaixamento.

Aí, vem o time do Inter, bem ruinzinho mas tranquilo, sai na frente do Goiás lá em Goiânia, toma o gol do empate num impedimento sem vergonha e durante o primeiro tempo, o locutor gastou uns 5 minutos falando da ligação Goiás/Inter, com atletas que saíram de um e de outro para atuar, ora no Goiás e ora no Inter.

Nesta toada, falou o repórter que na onda dos atletas que não deram certo no Inter e que deram certo no time goiano, um zagueiro dos verdes já tava certo com o time do sul e Rafael Moura voltaria para ser o 9 no Goiás.

Do nada, numa falta bem ridícula, R. Moura começou a xingar o juiz, tomou o amarelo, continuou os xingamentos até tomar o vermelho.

Era momento do jogo em que o Inter não chegava mais à frente mas, pelo seu lado, com o gordinho cansado, o Goiás apertava mas nada conseguia fazer na área colorada.

Claro que o gol do desempate goiano saiu rapidinho, logo uns 3 minutos depois da expulsão né?

Mas acho que foram apenas coincidências do jogo. He man é bem mais calmo do que Kleber, do antigo Edmundo, André Luiz, o nosso zagueiro-juiz e tantos outros.

O terceiro gol ainda saiu na maior tranquilidade, com o Inter "sem defesa" para marcar.

Não é mesmo fácil.