Livro sobre o Sandro Moreyra

Livro sobre o Sandro Moreyra
PRÉ-LANÇAMENTO - 22 DE AGOSTO - GENERAL SEVERIANO

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Alô alô diretoria do Botafogo: ajude o Perivaldo

Vi o Peri da Pituba jogar. Me proporcionou muitas alegrias - nos dois sentidos. Celebrizado por bater escanteios por trás do gol, era capaz também de fazer belíssimas jogadas. Não foi à toa que jogou na seleção. E jogou mesmo. Não fez número. Teve também a falta de sorte de ter jogado naquela época em que o Botafogo passou 21 anos sem ganhar títulos, o que me tornou mais botafoguense ainda.

Conto já uma história dele que presenciei antes de ser repórter. Me aguardem.


O Fantástico ontem fez uma matéria e mostrou que ele virou morador de rua em Portugal. Para ver a matéria, clique AQUI.

10 comentários:

Léo disse...

Em algum momento deste ano, li que o Perivaldo estaria morando e trabalhando em Lisboa, fiquei curioso e fiz uma busca, mas nunca aparecia nada, a reportagem do Andre Luiz Azevedo explica o motivo da ausência de informações.

Assisti Perivaldo no Maracanã, em Marechal Hermes, na Ilha, em Bangu, em tempos muito bicudos para os alvinegros, ele era um sujeito que esperançava a torcida com a sua vontade e ao mesmo tempo demonstrava a distância que tínhamos que percorrer para vencer com suas pixotadas malucas. Foi um personagem do futebol. Inegavelmente, tinha algum talento, senão, Tele Santana jamais o convocaria.

Para aqueles que não conhecem, o local onde Peri tenta ganhar algum dinheiro para viver funciona apenas dois dias da semana, acho que as quartas e sábados, trata-se de uma feirinha de antiguidades e coisas usadas que funciona a muito tempo na cidade, mas que degradou-se ao longo do tempo e perdeu o interesse para os próprios lisboetas, existe apenas um certo apelo turístico baseado na curiosidade. Nao consigo imaginar que alguém possa ter alguma dignidade vendendo coisas usadas dois dias por semana, a situação deve ser dramática.

Espero que o Botafogo ou a CBF, que não possuem responsabilidade alguma sobre os destinos alheios de jogadores de futebol, possam auxiliá-lo, até porque, pelas imagens, acho que o problema do Peri não é somente a falta de moradia, mas essa é o somatório final de outros fatores. Espero estar errado.

Marcos Paret disse...

Duas coisas Léo.

Peri - a reportagem, deprimente, mas ainda assim com a menção à Copa de 82, me fez lembrar que...

O BOTAFOGO FOI O ÚNICO CLUBE DE FUTEBOL PRESENTE A TODAS AS COPAS DO MUNDO NO SÉCULO PASSADO (em 94 não mandamos jogadores mas a comissão médica era toda do clube).

Botafogo - como aqueles 2 pontinhos não ganhos no jogo contra a Lusa podem vir a fazer falta lá no fim hein?

Ainda assim, se OO não for teimoso e souber a hora certa de inverter (Mattos por Renato e/ou ainda Gegê e Otávio), fazer 9 pontos em cima de bambis, coxa e Cricy não será tarefa das mais difíceis.

E ainda tem um encontro GrêmioxGoiás.

FOGO F disse...

O mundo não é justo!
Como pode um grande lateral como Perivaldo, que jogava mais que Leandro e Junior juntos, estar numa situação desssas?

eduardo schiefler disse...

O outro Perivaldo, está morando aqui perto em balneário camboriú, um amigo botafoguense me contou que ele tinha uma quadra de futebol society.

santos disse...

Só faço uma correção à matéria, que forçou a barra. Ele não esteve no grupo da Copa de 82. Participou daquela Seleção, sim, mas não foi à Copa. Se não me engano, o lateral reserva do Leandro era o Edvaldo.

Quanto ao Perivaldo, as pessoas exageram nessa história do cruzamento por trás do gol. Ele era um lateral muito ofensivo, de boa técnica e que tentava muito as jogadas. E, de vez em quando, cruzava mesmo por trás do gol, coisa que não era muito comum para jogador de time grande -- na época.
Atualmente, isso é normal. Se ele jogasse hoje, estaria na Seleção, fácil. Jogava mais do que joga o Daniel Alves e mais do que tem jogado o Maicon nos últimos anos.

Vascão 2013

Rubro Negro disse...

Nem pra ajudar o Perivaldo o Botafogo Serve!

Fabio Medici disse...

Isso aí, Santos. Perivaldo jogou poucos jogos em que o Telê buscava o reserva do Edvaldo. Getúlio, do São Paulo era o mais lembrado, mas perdeu a vaga pro Leandro, que acabou titular em 82...
Triste ver um ex-jogador assim...
Outro que ficou na miséria (principalmente após a dramática morte de seu filho) foi Marinho, do Bangu.
Em 96 ou 97, parei pra tomar um café em Nilópolis, antes de iniciar o trabalho, e lá estava ele no boteco, bêbado, ao lado de 2 mulheres e outro cara tomando cerveja as 8 da manhã...
Treina as divisões de base do Bangu muito mais pela gratidão que o clube tem.
Jogava muita bola e se vangloriava de ter mais de uma mercedes na garagem...

Luis disse...

Peri , o homem que humilhou Zico chupeta a ponto de irritá-lo e o ZicoMico deu uma porrada no Peri e foi expulso. Peri é outro que ganharia fácil numa enquete aqui do blog contra o chupetinha.

Marcos Paret disse...

Lembro disso Santos.

À época, os times que eram bons tinham realmente belíssimos elencos e assim, até no Botafogo, que tava na fila e era uma fila com aquele azar (75, 76 no carioca, 77 e 81 no brasileirão), não se concebia um atleta que errava fundamentos básicos.

Um exemplo: peguem o timaço do Brasil, pelo menos até à semana passada. Cruzeiro.

É sabido que ganharam jogos épicos mas se pergarmos várias boas partidas deles, não raro, mesmo com um aproveitamento como o que tiveram, davam passes errados e, em bolas atravessadas, atletas erravam na força da bola e ela fugia do companheiro indo pela lateral. Nos 3x0 no Botafogo erraram bolas assim à larga.

Pois até boa parte dos anos 80 isto era inaceitável. Um passe tinha que ser certo. A marcação, a partir de 82/83 (mudanças sempre após as Copas), começou para valer a ser a que é hoje em dia mas ainda assim, acertar o passe era condição primária para quem queria atuar num dos 12 times grandes, mesmo sendo ele Botafogo ou Palmeiras, os times que estavam na fila.

Assim, Perivaldo ficou sim conhecido pelas idas à linha de fundo mas com várias levantadas de bola para o céu, não raro zoadas pelos repórteres atrás dos gols. Tinha boa técnica mas não tinha concentração, sei lá, se empolgava com as jogadas e não caprichava para fechar bem a jogada.

Quem viveu a época já adulto e lembra de todas as transmissões (e eu não saía do Maraca e nem desgrudava o radinho do ouvido), lembra que a marca dele eram os cruzamentos tortos, repito, apesar da boa técnica.

Péricles disse...

"Como pode um grande lateral como Perivaldo, que jogava mais que Leandro e Junior juntos, estar numa situação desssas?"

Fogo F, seja lá o que vc bebeu, cheirou ou fumou hoje estava estragado. Procure um bom psiquiatra.

Perivaldo foi um dos mais ridículos laterais da história. Uma espécie de Negueba, sem nenhuma orientação espacial...