Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sábado, 4 de outubro de 2014

Maurício Assumpção errou ou acertou ao afastar Sheik, Bolivar, Edilson e Júlio César?

Capa: Lance!

O que está rolando é que tinha jogador ameaçando dar porrada em dirigente. Não duvido.
Mas confesso que o Sheik nunca me agradou. Parecia se achar maior do que o Botafogo. Longe disso. Muito longe disso. Não dividia as bolas, jogava quando queria, parecia provocar as expulsões e não se empenhava. Cansei de ver o Sheik não correndo em campo. Fora as vezes em que ia à beira do campo, em pleno jogo, reclamar com o Mancini.  Botando jogador contra a torcida.

Já o Bolívar, não. Parecia se esforçar em campo. Mas nunca se sabe o que acontecia nos bastidores. Edilson dispensa comentários. Até joga bem. Mas é daquela turma do chinelinho. Que jogou a carreira no lixo. Júlio César sempre foi apenas mais um. Rebotalho de Goiás, Grêmio, Fla, Flu…

Mas o que falar de Maurício Assumpção? Abandonou o clube. Se tivesse botado a cara para bater antes, talvez o Glorioso não tivesse chegado onde chegou. Deu dó ver Mancini, por quem não morro de amores, sozinho na coletiva rebatendo as perguntas dos repórteres sobre aquela vergonha que foi o jogo contra o Bahia. O Botafogo foi sim roubado vergonhosamente dentro de casa. Gottardo ficou num canto conversando com o comentarista Waldir Luiz, que estava indignado com o que o árbitro fez. Era para estar toda a diretoria na coletiva reclamando e anunciando medidas contra o árbitro. Como costuma fazer malandramente dirigentes e treinadores de um certo clube que conhecemos muito bem.

O que acho é que os quatro candidatos a presidente do clube deviam se unir e tentar resolver a situação. Ou Maurício assume de vez o pouco tempo que falta ou pede demissão e forma-se uma junta para segurar o clube até o final do mandato.

10 comentários:

FOGO F disse...

Não condeno certas decisões que só podem ser tomadas com conhecimento por aqueles que acompanham os treinamentos e o cotidiano do clube. Mas me pergunto se não houve alguma conversa antes com os jogadores ao longo deste ano e se o Mancini e o Gotardo não opinaram. Fica a impressão que o M.A. agiu mesquinhamente porque se indispôs com estes jogadores. Ele detesta o Bolívar e já tinha tentado dispensá-lo antes. Uma decisão destas deveria envolver o Mancini e o Gotardo. Mas Mancini vinha escalando o Bolívar, o Edilson e o Sheik como titulares sempre que estavam à disposição. É uma contradição. Já o Júlio César não jogava nada há tempos, era displicente e perdeu a posição há bastante tempo para o Júnior César.

Estão muito mal explicados estes afastamentos. Mas como os jogadores não são santos e os "agentes" são o próprio diabo, tudo pode ter acontecido.

Enquanto isso o framengo ganhou do América, RN, com gol irregular em jogada onde houve impedimento. Não há um jogo no qual este time não é beneficiado pela arbitragem(exceto, naturalmente, contra o fluflu e o São Paulo) .

Marcos Paret disse...

Acertou PC. O seu erro foi bem lá atrás, ou seja, entrar no ramo sem saber do que se tratava.

Assim, deu o disputado campeonato carioca de bandeja, quando perdeu Maicosuel entrou direto em conversa de empresário e montou aquele time sofrível para o brasileirão, trouxe o Seedorf sem o mínimo planejamento estratégico (de médio e longo prazo) e por fim, parou de pagar as dívidas achando que a lei seria votada em pouco tempo, ou seja, contou com o ovo..... e ferrou o clube em verde e amarelo.

E só depois disso tudo é que foi fazer curso de gestão em esportes.


Enfim, se Didi o tivesse conhecido, os trapalhões estariam aí no horário nobre até hoje.

Anônimo disse...

Paret, me desculpa mas não vou entrar nessa onda da imprensa de crucificar o Assumpção da mesma forma como fizeram com o Bebeto de Freitas.

Bebeto foi atacado pelo Sistema até arriar. A gota d´água foi ele ter tido a competência de ganhar a licitação do Engenhão.

O Assumpção vinha mantendo o crescimento do clube. Resgatou as divisões de base, tornou o Engenhão lucrativo, fez a maior contratação do futebol brasileiro da história (contratação de fechar aeroporto) e montou um time para ser campeão brasileiro não fossem as agressões do Sistema de todos os lados.

Cometeu erros como o Bebeto mas acertou mais do que errou. Estamos vivendo um Golpe do mesmo naipe do que levamos na década de 70.

Com Seedorf, bom time, estádio lucrativo, torcida crescendo, aumento de receitas (um dos maiores patrocinadores privados do país), era preciso nos puxar o tapete e isso ocorreu uma semana depois do título da Taça Guanabara.

Estamos somente a 5 pontos do time da Globo e eles não vão nos deixar passar.

Abs
Pablo

Marcos Paret disse...

Pablo.

Eu não disse que aceito o que a imprensa faz com o Assumpção - falei que ele chegou ao clube sem nenhum preparo e assim, até naquilo que acertou, deu com os burros n´água pois não planejou corretamente.

Se tivesse feito um bom planejamento, perderia o Seedorf mas não o time inteiro, teria receitas, estádio cheio em jogos importantes.

Na balança, pode ver que os erros superaram os acertos.

Anônimo disse...

O estádio estava enchendo até ser fechado sem necessidade. Golpe.

E ainda assim enchemos o Maracaneike na Libertadores, maior público do ano entre clubes. Mas o foco dos jogadores parecia ser outro...

Ao menos a derrocada do MA serve para os próximos presidentes perceberem que não adianta ser "amigo" da Globo.

Abs
Pablo

marcelino dantas disse...

A culpa é de todos mundo menos do Botafogo, o cara resolve não pagar suas dívidas e culpa é do flamengo.
Não ganhou porque não teve competência. Ano passado teve pênalti no mineirao pra empatar e acabou perdendo o jogo, mas claro a culpa é sempre do outro, a desculpa dos fracassados.
Quanto ao engenhao, cobrem dos vascainos que fecharam o estádio, o engenho pro Flamengo, seria uma boa esta aberto pra barganhar com o consórcio, se houve algo estranho no seu fechamento gom certeza não foi pra ajudar o Flamengo...

FOGO F disse...

O Maurício Assunção vinha fazendo o que parecia ser um boa gestão até que a crise financeira demonstrou sua falta de planejamento e a pobreza absoluta, em todos os sentidos inclusive ética, dos seus métodos de gestão.

A verdade é que o M.A. não fez nada, apenas colheu os resultados da recuperação do Botafogo realizada na gestão do Bebeto de Freitas. Para ser justo, ele teve uma boa gestão de marketing e foi feliz em algumas contratações como Loco e Seedorf. Os times do Botafogo não foram ruins em sua gestão. Mas ele multiplicou a dívida do clube que, segundo o próprio Bebeto, teria sido inteiramente paga se ele estivesse à frente do clube. E eu acredito nele porque vi como foi sua gestão. A gestão do M.A. herdou o Engenhão e herdou sem contrato porque o Bebeto, generosamente e competentemente, não quis assinar um antes da decisão sobre a Copa, quando o Engenhão seria o único estádio grande disponível para os clubes do RJ. O M.A. não reconhece isso, o que não é ético, e diz que foi ele que fez tudo. O M.A. herdou Marechal Hermes que ele afirma, também de forma nada ética, que ele recuperou o que os outros abandonaram. Ele não diz que a posse do Marechal Hermes foi contestada na Justiça e que foi o Bebeto, depois de longo tempo, que conseguiu restituí-la. Nada poderia ser construído lá antes. Ele também herdou a sede reformada e reclama até hoje que teve que reformar a piscina que apresentou vazamento (!!!). Ele herdou Caio Martins que ele abandonou e começou tratativas para devolve-lo ao Estado para se tornar o Borher do Caio Martins. Ele herdou o planejamento e os acordos do Bebeto com a churrascaria Fogo de Chão. Cinicamente ele afirma o tempo todo que os outros afundaram o Botafogo e ele recuperou.

O M. A. (e também alguns de seus auxiliares, especialmente os economistas), não tendo competência para se criar no mercado financeiro decidiu se aventurar no Botafogo. Infelizmente.

O pior de tudo é esta mentalidade nada agregadora e de conceitos rasteiros de profissionalismo que deveria ser derrotada no clube.

MARCO CAMEJO disse...

"fez a maior contratação do futebol brasileiro da história (contratação de fechar aeroporto)."



Só pra lembrar os desatentos o mané está falando sobre Seedorf, um jogador, a época, com 36 anos que nunca foi craque.

Marcos Paret disse...

Mário Camejo na sua versão menguitista histriônico grau 100.


Um cara de 36 anos que nunca foi craque.

FLAla sério Camejo! Assim, vais ser eleito mala duas vezes ao ano, um recorde no blog.

________________________


marcelino - não deixamos de perseguir o título em 2013 por causa do pênalti perdido - ficamos para trás pela venda dos atletas, pois já àquela época nos deixaram sem o estádio.

MARCO CAMEJO disse...

Paret,


Vocês consideram Zico, Junior, Leandro apenas bons jogadores. Acho uma lástima, porém respeito...Da mesma forma não acho o Seedorf craque e sim um ótimo jogador.