Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Como é bom ler jornal quando o Flamengo não joga


É tão bom ler jornal quando o Sentão não joga! Dá gosto de ver a edição do Globo de hoje. Desde a chamada da primeira página até as páginas internas do caderno de Esportes, que abre com uma bela e imparcial resenha do meu ex-aluno Gian Amato. O destaque foi para o jogo em si e não para os "lances duvidosos".

E a Carolina aí do recorte viu o mesmo que eu vi e falei aqui ontem. Como é bom ver um jogo em paz no Maracanã. Sem fanatismo, sem violência, sem um se achar muito melhor do que o outro e falar em mundo. Parabéns para as duas torcidas.

4 comentários:

Péricles disse...

Vasco & Botafogo sempre foi jogo de comadres. Agora que são times frequentadores da Segundona ficaram mais comadres ainda.

André disse...

oi pc, sabe pq é chamado de clássico da amizade?

sou vasco e já ouvi q isso começou com a dulce rosalina, q convidava líderes de torcidas rivais pra jantar qdo a gente vencia os clássicos, a ideia era servir o freguês, e teve uma fase, lá em 50 e tantos, dizem, q o vasco levou a melhor seguidas vezes contra o botafogo e aí a boia filada estreitou laços. dulce era do bem, espécie de tia ruth, do regabofe não duvido mas o botafogo fica de coadjuvante na história, não levo fé nessa versão, é tendenciosa.

já ouvi também q a origem foi a antipatia dos dois pelo flamengo, embora o fluminense não fique fora dessa mas é coirmão, tem nome parecido, grená é meio vermelho, são clubes unidos pela mística etc etc. Sei lá, tricolores detestam rubro-negros, acho fajuto esse papo, e me recuso a acreditar q o flamengo motivou o clássico da amizade, isso inverte totalmente as coisas, urubuzar não vale, soy contra!

qual sua opinião? acho q a boa relação pode ter nascido das cores simplesmente, ou pq vasco e botafogo não guardam traumas um do outro, decidiram só estaduais, pouco mimimi entre eles, a não ser o ciro aranha q proibiu o biriba de entrar em s.januário e mais tarde, em 90, a volta olímpica com a caravela de papel e a rebolada do edmundo. no mais, tudo normal, já bebi mtas vezes com alvinegros nas imediações do maracanã em dia de jogo sem problema, no nilton santos também, uma vez.

abraço,
andré

Gustavo Menezes disse...

André, a amizade entre as torcidas é realidade sim. Aumentou muito dos anos 70 pra cá, apesar do Eurico.
Breve testemunho: no meu caso, quando era garoto, eu achava que essa amizade fazia parte do meu inconsciente, pois na minha família predominavam vascaínos e botafoguenses (meu pai gostava do São Cristóvão por causa do meu avô). Eis que, ao começar a frequentar o Maracanã, me deparei com aquele lindo e emocionante desfile de bandeiras nas arquibancadas. Zoações com a 'freguesia' nossa e 'amarelada' em decisões deles, sempre existiram. Mas do jeito que vemos nesta decisão: saudável, divertido. Mas respeitoso. Como deve ser!
Leia este artigo do Lance!, os historiadores Roberto Assaf e Jefferson Gomes abordam o tema.
http://www.lancenet.com.br/botafogo/LANCE-historia-Classico-Amizade-carioca_0_1344465754.html

André disse...

oi gustavo,
obrigado pelo link.

não sabia da liga em 36, pelo visto a convivência amigável foi construída naturalmente, na dor e na alegria, ao longo dos anos. interessante.

abraço,
andré