Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem

Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem
À venda no buscapé em 16 livrarias e em diversas livrarias ao vivo (Clique na imagem acima)

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Carta a Oswaldo de Oliveira, Carlos Eduardo Novaes (EXCLUSIVO)

Meu Mestre Carlos Eduardo Novaes mandou novo presente e divido com vocês, sem mais delongas.

CARTA A OSWALDO DE OLIVEIRA

Meu caro treinador,
Espero que esta o encontre bem de saúde. Não foi somente você que precisou de atendimento médico depois da derrota para o Grêmio com 10 jogadores no Maracanã. Vários botafoguenses estão passando mal com o futebol que o Botafogo vem apresentando nas ultimas partidas, particularmente contra o Bahia e a Ponte, ambas em casa.

Sei que não lhe cabe qualquer responsabilidade por Lodeiro não estar jogando nada e Seedorf menos ainda. Você fez – como diria minha avó – das tripas coração, para levar o Botafogo às primeiras colocações, perdendo jogadores importantes e o clube perdendo o estádio e a folha de pagamento. Uma proeza que não pode ser esquecida. No entanto alguma coisa aconteceu ao time que de uma hora para outra desabou como um castelo de cartas. Estamos a seis partidas sem sentir o saboroso gostinho da vitória.

Talvez você desconheça as causas dessa queda livre – ou a teria interrompido na terceira ou quarta partida – mas eu modestamente me atrevo a listar algumas razões para tamanha débâcle. Começo por afirmar que todos os nossos adversários já sabem como joga o Botafogo. É um futebol tão previsível e repetitivo que assistindo aos jogos sou capaz de “cantar” antecipadamente as saídas de bola. Jefferson entrega a bola para Bolívar que passa para Dória que devolve a Bolívar que passa para Marcelo Matos que devolve a Dória que dá um chutão para frente e seja o que Deus quiser. Como Deus não vem querendo, o adversário – que já está todo armado na defesa em função da lentidão do Botafogo – toma a bola e parte para dentro. Jefferson tem salvado o Botafogo de derrotas acachapantes. Tô mentindo?

Caso o chutão do Doria caia nos pés de algum companheiro – coisa rara – a bola demora mais um pouco a voltar. O Botafogo tenta armar suas jogadas pelas laterais do campo. Até os gandulas já sabem disso, os espaços se fecham, a bola volta aos pés de Marcelo Matos que ou erra o passe – nosso time é o que mais erra passes – ou tenta um chute de longa distancia que quase sempre vai às nuvens. É impressionante a incapacidade do time para acertar sequer entre os paus da baliza. Na partida contra o Grêmio, jogando com mais um, não fomos capazes de levar perigo ao gol do Dida uma única vez. Tô exagerando? Eu se fosse você, depois dos treinos deixaria o grupo de “castigo” chutando ao gol. Quem acertasse três entre as traves poderia ir para casa.

Sem acertar chutes de longa distância, errando passes e sem jogadas articuladas de ataque, ficamos dependendo das bolas paradas. Um time que se preza não pode depender somente de bolas paradas que alias não tem ajudado muito. Não me lembro da última vez em que nossos jogadores levaram vantagem sobre os adversários em cobranças de escanteio. Outro dia Seedorf perdeu um pênalti.

O ataque do Botafogo – que nunca foi muito agressivo – sumiu de vez. Também pudera! A única jogada que nos tem restado são as bolas altas cruzadas sobre a área, vício que vem dos tempos do Loco Abreu. Como não temos mais o Loco e quase ninguém dentro da área para cabecear a jogada se torna absolutamente inútil.

Creio, meu caro treinador, que nessas 12 rodadas que restam você precisa mudar o padrão de jogo do Botafogo, nem que para isso seja necessário trocar a maioria dos jogadores. Estamos jogando um futebol do “tempo do onça” embora a lentidão seja de tartaruga. Somos lentos para atacar, somos lentos para defender e se continuarmos assim receio que repetiremos a campanha de 2011, quando o sonho da Libertadores esboroou-se na reta final.

Só mais uma observação. Preocupa-me a má fase do Seedorf. Como ele é o líder, o maestro, o mestre-sala, seus companheiros procuram-no sempre durante as partidas. Só que ele – que só não bate tiro de meta – está errando tudo e desse modo suas intervenções acabam prejudicando o time. Que tal dar-lhe um descanso, mais do que merecido?

Jogando como fizemos nas últimas partidas, um empate com o Náutico será uma vitória. Grande abraço e que você consiga mudar a direção do vento. Estamos torcendo!


Carlos Eduardo Novaes              

15 comentários:

Marcos Paret disse...

É isso.

O nosso 'tic-tac' já era e agora, convém partir para outra. Ou entra com um time fechado (feio) e treina saídas rápidas de bola (Lodeiro e Gilberto podem fazer isto - Julio César também) ou então, a vaca vai para o brejo.

Thomas Beta disse...


Vendo essa foto do PC mais abaixo, apenas com ligeiros ferimentos, penso que ele tem muito a agradecer aos torcedores do Flamengo, que o dissuadiram da primeira ideia para a camisa de 1944.

Já pensou ir ao Maraca repleto de gaúchos usando uma camisa dizendo SENTEI...

Sei não...

Até explicar que focinho de porco não é tomada... a agnaldada já estaria irreversível...

Julio disse...

Aposto que o cavalo paraguaio perde para o phoderoso timbu na Arena Pernambuco.

Mario_av disse...

Difícil comentar um texto tão claro, como este do Novaes. Só resta elogiar pela clareza na análise. Eu me incluo entre os torcedores que estão passando mal há algumas rodadas. Amanhã, por pura vergonha, nem sei se consigo ver o jogo do Botafogo. Contra a Ponte, por pura felicidade, estava em São Paulo e não vi a derrota.
Vou colocar um outro ingrediente neste angu que começa a encaroçar. A união do elenco, tão destacada há até pouco tempo, será que continua a mesma? A vaidade pessoal dos jogadores não dividiu o grupo? Se o Seedorf é o destaque, se ele é o mais procurado pelas entrevistas, que resolva tudo sozinho. Já vi este filme antes. Para mim não ficou claro até hoje a volta do Seedorf, no dia seguinte, sozinho, após o jogo contra o Cruzeiro. Será que não houve naquele momento do campeonato uma quebra do bom ambiente entre os jogadores? Não é hora de esconder nada, é hora de escancarar e enfrentar a verdade.

Mario_av disse...

O time do Julio deve ter ganho do phoderoso timbu de goleada.

Marcos Paret disse...

Mario.

O propalado 'deixa disso' entre Jefferson e Seedorf parece ter sido só para as câmeras (Jeff chegou a declarar ter ido em festa de aniversário de filho (a) do holandês).

Ao que consta, em notícias de quem conhece o ambiente em G. Severiano, foram mesmo formados dois grupos: um fecha com o goleiro e outros (poucos), com o camisa 10.

Só que isto ocorre em qualquer elenco (em praticamente todos).

O de 2007 era super dividido, o de 95 idem (o grupo do Sérgio Manoel e o do Tulio).

Não sei se isto, por si só, seria capaz de provocar a queda de rendimento do time em campo.

Mario_av disse...

Paret,
Este caso do Jefferson com o Seedorf é coisa antiga, e que realmente a imprensa procurou valorizar negativamente, como é padrão.
Eu me refiro a fatos novos, coisas mais recentes e que podem não ter vindo a público, mas que começam a minar o time como um conjunto.

Marcos Paret disse...

Não sei.

Em relação aos últimos jogos, o que vejo mesmo é a 'falência' do toque de bola, que funcionava à base da insistência, dos chutes certeiros do Vitinho e, no último bom jogo (Santos), no oportunismo do Elias.

Eduardo dudu disse...

Mario "O time do Julio deve ter ganho do phoderoso timbu de goleada"

Mata-me de rir, esses mulambos vem passar cada recibo ahahahaha

eduardo schiefler disse...

legal a carta
não acompanho todos os jogos do bota, mas pelo jeito o cara tá certo.
uma coisa em questão é clara, seedorf, alex,juninho e outros com idade mais avançada que no começo do campeonato estavam jogando muito bem (ai mais o seedorf e o alex) com essa montoeira de jogos quarta e domingo, mais os deslocamentos detonaram com os caras. nem tempo de treino tu tens...imagina que tu sai de recife no domingo de noite pra jogar em porto alegre na quarta de noite...nem precisa ter 35/38 anos pra sentir.
sobre o seedorf ainda reitero um comentário que fiz aqui meses atrás...eu sendo rubro-negro iria tranquilamente ao estádio só pra ver o cara jogar só pela história dele no futebol, e quase o fiz com meu amigo botafoguense quando o bota jogou em floripa contra o figayra, mas tivemos uns contratempos e não pudemos ir. ao ponto que fico indignado com a quantidade cada vez menor de torcedores do bota no estádio...e vaiar o cara...pô !!! é um pouco demais não acham ?!

santos disse...

Cara, o Botafogo perdeu alguns jogadores, mas a saída do Vitinho é que matou o time mesmo. O cara era forte e rápido e chutava muito de fora da área. Isso atraía a marcação adversária e deixava mais espaços pro Seedorf e pro Lodeiro.
Agora a marcação concentrou no Holandês e ele não tem mais gás pra escapar.
Não tem mais jeito, as Smurfetes são campeãs.


Vascão 2013

Mario_av disse...

Eduardo,
Você perdeu a chance de ver o Seedorf, mas hoje, no Ressacada, não pode perder a oportunidade de ver craques como Diogo Silva, Cris Henrique; Fillipe Soutto, Francismar, Willie, Jhon Cley, Gum, Leandro Euzébio, Edinho, Rhayner e outras figuras. :-)

MARCO CAMEJO disse...

Mario_Av,



Essa é a consequência de ficar décadas e mais décadas- primeiro vinte e tantos anos, agora já são 18-
sem ganhar títulos e formar craques, a torcida fica cada vez menor e mais velha, agora são o menor do RJ em todos os quesitos e, se pouca gente prestava atenção quando a fase estava boa, agora que a fase é ruim aí mesmo é que não da ibope...


Enfim, faça igual seus amigos aqui, vá ficar reclamando das injustiças, relembrando jogos de quase 70 anos e celebrando títulos como ter o escudo mais bonito...A americanização botafoguense continua...

MARCO CAMEJO disse...

ERRRATA: "...agora é o menor do RJ..."

Marcos Paret disse...

Sonha Camejo. Vai sonhando.

Esta desimportância que embala suas madrugadas não vence há umas 6 rodadas, com apenas um empate e derrotas no restante dos jogos ..

E NÃO SAI DO G4.


A sua pobre agremiação está invicta há 4 rodadas (acho que só com um empate)..

E NÃO SAI DAS PROXIMIDADES DA ZONA.


Ou será que esta realidade agora não é importante?

É campeonato de torcida, de renda, de mais tempo sem um brasileirão (vocês ganharam um de presente e o anterior foi arrumado em 92 - com atletas corruptos)?

Decida aí o assunto do debate.


Mas cuidado com o sonho. A fronha pode não aguentar mais duas derrotinhas. A chave da zona tá pertinho aí.