Livro sobre o Sandro Moreyra

Livro sobre o Sandro Moreyra
PRÉ-LANÇAMENTO - 22 DE AGOSTO - GENERAL SEVERIANO

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

terça-feira, 16 de julho de 2013

O dia em que o Botafogo com a camisa da seleção brasileira goleou a Argentina por 4 a 0


Quem pode mostra.

Mas antes quero dizer que...

Fiquei muito chateado com o que aconteceu no jogo de domingo contra o Grêmio. É impressionante como as forças ocultas e as irresponsabilidades dentro de campo conspiram contra o Botafogo. Parece que o Botafogo não pode ser líder, não pode mais conquistar o Brasileirão.

Em 2007 foi aquilo que se viu. O time ia bem até acontecer uma série de roubalheiras e o doping do Dodô. Nos campeonatos seguintes também aconteceram coisas estranhas que impediram que o Glorioso fosse o campeão ou, pelo menos, conseguisse uma vaga na Libertadores. Não que os botafoguenses valorizem tanto essa tal de Libertadores. Mas por digamos assim “sinal dos tempos”.

Até domingo o Botafogo era líder mesmo tendo perdido o Fellype Gabriel e o Andrezinho. A diretoria não contratou nenhum reforço para compensar essas duas perdas. Não faço muita fé no tal do Elias e também desconfio do Alex.

Mas volto ao jogo de domingo. Mais um lance duvidoso em um jogo do Botafogo e, na dúvida, sabemos bem, é contra o Botafogo. O segundo gol do Grêmio foi muito estranho. Muito estranho. Mas o que me incomodou mais foi a violência do time gaúcho. O que não é novidade para quem acompanha futebol. Quase que o destemperado do Kleber, um sujeito desleal e sem ética, que há muito deveria estar banido do futebol, quebrou o Seedorf. Mas o veterano Zé Roberto quebrou o Lucas, que agora está no estaleiro sem previsão para voltar. Mais um desfalque sério. 

Embora alguns sites tenham anunciado que o STJD, que adora punir o Botafogo, pode punir Zé Roberto, quem sabe até afastando ele durante o período em que o Lucas estiver fora, não creio que isso aconteça. O Glorioso vai acabar ficando com o preju. Lamentável. Mas vida que segue.  Vamos continuar acreditando. Parodiando Fernando Sabino, “no fim dá certo, se não der certo é porque não chegou o fim”.  O botafoguense é antes de tudo um forte.

E como não chegou o fim, explico a foto acima. É a da chamada SeleFogo que em 1967 sapecou 4 a 0 na seleção argentina. Eram oito jogadores do Botafogo e três de times comuns – os vascaínos Brito (que depois jogou no próprio Glorioso) e o pontinha Nado (uma espécie de Rafinha do Framengo na época, que sumiu e ninguém sabem ninguém viu) e o goleiro tricolor Félix.  Encontrei essa foto fazendo uma pesquisa sobre o Carlos Roberto que talvez venha a render um novo post. Depois explico.

4 comentários:

Cacau Avila disse...

Sobre o futebol do sul já falei no post acima. Nunca gostei (Falcão e Figueroa à parte), jamais vou gostar.

Nem falo do belo futebol-arte implementado aqui nestas plagas pelo Botafogo, mas cito os grandes Cruzeiro e Atlético (mormente o alvinegro de 80), como clubes que não merecem comparações.

___________________________________

Neste 4x0, duas observações..

- Os gols todos foram de atletas do Botafogo.

- O quarto gol se deu após um olé de 2 minutos, COM A BOLA APENAS NOS PÉS DOS ALVINEGROS, culminando com o gol, se não me falha a memória, do Jairzinho.

Sobre este olé, Zagallo o narra como um dos mais raros e brilhantes momentos do futebol. A Argentina não estava FORA DA COPA por deficiência técnica e sim, banida pela violência de um animal na competição em 66 (eles misturam o nosso sul e o sudeste... jogam muito mas adoram bater).

Vale a pena buscar o que Zagallo diz deste jogo e, mormente, deste quarto gol (o maior olé com um gol da história).

Galvão clamou por isso no BrasilxEspanha (que um dos olés culminasse com um gol), mas não era o Botafogo.

:-)

FOGO F disse...

Muito triste o que aconteceu com o Lucas. Quando a violência e a deslealdade começam a prevalecer, mascaradas em "pegada", cabe aos árbitros, às federações e à CBF tomar medidas corretivas. A imprensa e os torcedores devem também se manifestar protestando e exigindo o jogo limpo. E as diretorias de clubes deveriam se manisfestar firmemente em favor do futebol leal. O que se viu? Nada, pior tudo ao contrário. A Diretoria do Fogão não protestou nem pedirá punição. O Arnaldo, a Globo e seus comentaristas-clichês não querem punição a ninguém, defenderam o árbitro, que "deveria ter dado um amarelo", o Zé Roberto, que "não é maldoso" e nem falaram do Kleber. E o Grêmio acha absurdo uma possível punição a Zé Roberto. Vai haver uma encenação no STJD e ficará tudo por isso mesmo.
Agora, este debilóide do Arnaldo não sabe que a regra é clara e as recomendações da FIFA também? Falta por trás é amarelo. Carrinho por trás é vermelho. As regras existem para preservar o esporte e os atletas. As recomendações do Renato Gaúcho e a vontade dos jogadores estão acima das regras? O que tenho a dizer sobre estes árbitros de baixíssimo nível, este Arnaldo, a Globo e seus comentaristas-clichês: #@%*&!@%$#$.
Vivemos em uma ditadura. Só os clichês da Globo são permitidos.



Cristian Hofman disse...

Também acho que o Zé Roberto tem que ser punido com rigor. Agora, fica mais uma vez comprovado que o bfr não tem voz ativa no cenário nacional.

SRN!

Cacau Avila disse...

Não FLAdianta Cristian.


Segundo se depreende do seu comentariozinho engraçado, o menguitinho é que é o time que tem esta voz toda?


Combinaram com...


Timbu
Coxa
Macaca
Sendão
escola de samba Duque de Caxias
Linguiça Resende?


Vai dormir meu amigo: as próximas rodadas vão ser amargas para vocês.