Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

quinta-feira, 25 de julho de 2013

E o Atlético Mineiro conseguiu na bola o que lhe foi tomado pela arbitragem há 32 anos

E com juros e correção monetária. Mais do que um Brasileiro foi uma Libertadores.

O resto da história todos conhecem. Não é preciso relembrar aqui.

Chupa, Zé Roberto Wright. A história não o absolverá.

Aliás é interessante comprovar que grandes times ganham de grandes times. O Galo do muitas vezes campeão chamado Olympia; e não de um Cobreloa da vida. Como fez o Glorioso na Conmebol contra o Peñarol.

12 comentários:

Thomas Beta disse...

Quer dizer que times como o Cobreloa, que nunca venceram a Libertadores, são pequenos?

É isso mesmo?

Tem certeza?

Thomas Beta disse...

Trinta e dois anos é muito tempo. Fala sério.

Prefiro o exemplo do Santos, que levou apenas sete anos para conseguir o que lhes foi usurpado em 1995.

Marcos disse...

Quer dizer que, assim como o Santos, o Atlético Mineiro foi mesmo usurpado há 32 anos?

Thomas Beta disse...

Eles dizem que foram. Eu não acredito, já que, naquela década, não fizeram mais nada de importante, ao contrário do Flamengo, que esteve em três semifinais de Libertadores, por exemplo. Não ter ganho nada grande na década inteira e nem ter se classificado para outra Libertadores não pode ter sido culpa do Flamengo.

Rick Faria disse...

Muito bom!
Ontem torci para o galo de maneira quase igual a que torço para o Botafogo. Claro que o fato de minha namorada ser mineira e atleticana influenciou muito!

32 anos anos depois da maior presepada que o futebol de clubes já viu, esse clube venceu sem nenhum Write a tira-colo, de maneira épica, ao vencer, nos braços de sua torcida, jogos onde a grande maioria não acreditaria.

Mas foi justamente isso que possibilitou tudo! O não jogar de "salto alto" e correr atrás do resultado fez com que os jogadores se unissem e extrapolassem suas qualidades.

Ontem, quando o Ferrera escorregou após tirar o Vitor da jogada, ele não escorregou nada, passaram foi uma banda nele! Os milhares de atleticanos e outros que torciam a favor deram um "totô" com os olhos, e salvaram o que viriam a ser o gol do Olympia.

Ontem se fez justiça no futebol, como se o não fosse possível o atlético perder!

Quem acredita em Deus, hoje é um pouco galo!

Parabéns galo, vocês, mais que todos, mereciam essa justiça, e nem o olho gordo das mariadas e da mulambada foram o bastante para tirar esse título de vocês!

FOGO F disse...

Parabéns Atlético.
Qualquer time que ganha na bola, sem ajuda da arbitragem, sem ajuda da Globo, sem ajuda da FlaPress ou FluPress, sem ajuda da cartolagem é sempre uma lição para certos clubes brasileiros.

PVG disse...

Impressionante, aqui tb tem Flupress!?!?

Cristian Hofman disse...

Os pequenos patético mineiro e faísca são semelhantes em quase todos os aspectos, a diferença agora é que um tem uma libertadores(agora só daqui a 100 anos) e o outro continua carente desta conquista.

SRN!!!

Cristian Hofman disse...

Final fria e título sem graça.

Saudações da maior torcida do brasil!

FOGO F disse...

Por que será que se dá tanta importância à Libertadores? Títulos são importantes, mas nós botafoguenses sabemos que não é tudo. É compreensível que clubes que nunca tiveram um Garrincha e sem tradição procurem nos títulos, ou nos "títulos", preencher este vazio. Mas por que a Libertadores? Vejam que o nível das equipes sul-americanas não passa do razoável e hoje têm um investimento muito inferior ao das equipes nacionais. Financeiramente é nula pois, segundo o Kalil a Libertadores remunera menos os clubes que o campeonato mineiro.
Mas a minha maior crítica são as condições de jogo uma vez que, com arbitragens parciais, equipes violentas, campos ruins e sem segurança, e com a corrupta e parcial Comebol a qualidade do futebol fica comprometida. Talvez seja por isso que o Atlético tenha jogado com tantos chutões. Uma bola tomada com falta não marcada pode dar um contra-ataque ao adversário. Trocas de passes podem ser interrompidas com faltas e pênaltis não marcados. Ainda tem a cêra, as simulações, as provocações, a violência etc.. Resta então a bola aérea, as jogadas em velocidade e os chutes de longe. Mas por que muitos torcedores gostam de um futebol assim e valorizam tanto estas conquistas "difíceis" e inglórias? Talvez os psicanalistas botafoguenses, com a ajuda de Freud, possam explicar.

Quanto aos clubes nacionais, a importância que dão à Libertadores é, na minha opinião, a melhor demonstração da incompetência dos cartolas brasileiros que não sabem organizar um campeonato rentável e sem mutretas. Observem que o campeonato mundial de clubes da FIFA, que existe desde 2000, não merece nenhuma consideração do bilionário futebol europeu, ao contrário das equipes brasileiras.

Pablo disse...

E a próxima Libertadores do framengo Cristian? Vai ser quando? A Globo está decadente...

Abs
Pablo

pc guimarães disse...

"(...) um tem uma libertadores(agora só daqui a 100 anos) " Tá falando de quem, Cris? Me lembrei de um que conseguiu uma no final do século passado e fala nela até hoje. Que nem o chororô por causa do gol do Maurício em 1989.