Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sábado, 31 de março de 2007

A (s) frase (s) da semana. Ofélia vive


E o recém-escolhido ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que só abriru a boca para dizer besteiras ao ser entrevistado pelo repórter Gerson Camarotti em O Globo.
O ministro disse:
"A gente em política só não faz acordo com o demônio. Mesmo assim, chama o demônio pra conversar".

E emendou de prima:
"(...) investigaram toda a minha vida. (...) Ninguém encontrou nada que agredisse a minha honra. Também não sou corno e, além disso, não tenho paixão por pessoa do mesmo sexo!".
No dia seguinte, claro, choveram e-mails na redação contra as declarações esdrúxulas do novo ministro.

A (s) foto (s) da semana: PM gorduchinho




A repórter-fotográfica de O Globo, Márcia Foletto, fez na quinta-feira um belo "close" do comandante-geral da PM do Rio, coronel Ubiratan Ângelo, um pouco, ou melhor, muito, acima do peso. O fato é comum na corporação, como provou no dia seguinte o repórter-fotográfico Gabriel de Paiva, ao flagrar um outro PM com uma bela barriguinha, ou melhor, barrigona.

O problema das calorias a mais não é novidade na instituição. Uma pesquisa divulgada em 1994 mostrava que mais de 50% dos integrantes da tropa estavam fora do peso. Em reportagem publicada na época, digo, no mesmo O Globo, foi citado o caso de um PM que ficou entalado entre um muro e a parede de uma casa, o que acabou fazendo com que fracasse uma operação policial numa favela. Em 2004, uma outra pesquisa revelou que 69,91% dos policiais civis e militares do Rio se exercitavam pouco ou tinham baixa atividade física, e que 36,17% não faziam qualquer exercício.

Para fazer blitzen em horas e locais que todo mundo conhece e ficar verificando se o extintor de incêndio ou o IPVA estão vencidos, até que vale. Para jogar gás de pimenta em estudantes também serve, mas para pegar bandidos é preciso emagrecer um pouco. Mas para isso, é preciso reduzir também os "agrados", em forma de quentinhas, que muitos PMs recebem de donos de restaurantes.

sexta-feira, 30 de março de 2007

My sweet Lord!?


'Jesus' nu de chocolate gera protesto de católicos nos EUA

Um grupo católico nos Estados Unidos pediu que uma exposição que inclui uma escultura de Jesus Cristo nu, feita de chocolate, seja boicotada.

A escultura de chocolate ao leite tem 1,8 metros de altura e 90 quilos, criada pelo artista Cosimo Cavallaro, será exposta na Lab Gallery em Manhattan, Nova York.

Bill Donohue, a Liga Católica, que se auto-intitula a maior organização de defesa de direitos civis dos católicos do país, disse que a mostra "é um dos piores ataques já feitos contra a sensibilidade cristã".

A Liga Católica também criticou a data escolhida para a abertura da exposição, a próxima segunda-feira, na Semana Santa.

"O fato de eles terem escolhido a Semana Santa mostra que esta exposição teve sua data escolhida deliberadamente", diz Donohue no site da Liga Católica.

O diretor da galeria, Matt Semler, disse que a proximidade da Páscoa é uma infeliz coincidência.

Cavallaro é conhecido por obras feitas com comida. Em 1999 ele cobriu um quarto de hotel em Washington com mozarela derretida. Outras obras dele é uma instalação com vários quilos de presunto fatiado em cima de uma cama.

A Liga Católica disse que conclamou católicos e outras organizações religiosas a boicotarem o hotel em que fica a galeria. "A única coisa que as pessoas que operam o hotel entendem é quando são afetados no bolso", disse a organização.

"Eles tem sorte de não reagirmos como extremistas muçulmanos quando se sentem ofendidos", diz Donohue.

O escultor Cosimo Cavallaro deu à obra o título de My Sweet Lord (Meu Doce Senhor, em tradução livre).

Fonte: BBC Brasil

Uma boa idéia?


Meu amigo PV me manda dizendo que vai ser o novo comercial da caninha 51. É. Pode ser. Como diria mestre Ancelmo.

quarta-feira, 28 de março de 2007

Te cuida, Civita!


A equipe do Jornal de Debates se reuniu semana passada, pela primeira vez, em São Paulo. E parece que o encontro deu sorte. O jornal, que circula no endereço www.jornaldedebates.com.br, desde então tem batido recordes de acessos. O grupo já pensa em pedir ao diretor e editor-chefe Paulo Markun (à direita na foto) que a próxima reunião seja em Paris, Roma ou Nova Iorque.

Hello crazy people, aqui fala Big Boy




São dois vídeos para iniciados ou curiosos (são 10 minutos cada). Big Boy fez parte da minha juventude. Eu parava para ouvir o cara às 18h. Aos sábados tinha o Cavern Club, com músicas do Beatles. O cara é o precursor dos djs. Quem me passou foi o meu amigo PV.

Cantinho do Mobral: Que flor é essa?


Meu amigo PV enviou.

Gol Mil


Meu amigo Adriano Chagas me mandou o ingresso do jogo Santos e Vasco, em 1969, em que Pelé fez o seu milésimo gol no Maracanã. O pai dele estava lá.
Mas domingo o Romário vai ficar na saudade.

Aproveitem e entrem no Jornal de Debates (www.jornaldedebates.com.br) e participem do debate "Os mil gols de Romário valem tanto quanto os de Pelé?". Um monte de gente da pesada já escreveu.

terça-feira, 27 de março de 2007

Túlio Maravilha nós gostamos de você


Túlio: "Mil gols só Pelé, Romário e eu"
Jogador afirma que faltam 290 e que gostaria de realizar a façanha com a camisa do Fogão
Não é só Romário quem busca o milésimo gol. Túlio Maravilha também sonha com a marca e já tem até projeto para fazer os 290 gols que faltam para o feito ( ele só contabiliza os 710 que tem nos profissionais, embora tenha mais 67 marcados nas divisões de base, segundo suas contas). Para isso, o folclórico atacante pretende jogar mais quatro ou cinco anos, com uma média de gols alta.
- Se eu fizer cerca de 50 gols por ano, consigo chegar à marca quando estiver com 41 anos, igual ao Romário (Túlio tem 37 anos). É difícil, mas acho que consigo, afinal mil gols só Pelé, Romário e eu teremos em todo o mundo – afirma por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM, de Goiânia.

Atualmente disputando o Campeonato Goiano pelo Canedense, Túlio é o vice-artilheiro da competição com 12 gols, e espera que seus companheiros o ajudem a se aproximar da tão sonhada marca, agora que o time não tem mais risco de ser rebaixado. Túlio já tem sondagens para disputar o Brasileirão 2007. Segundo o jogador, seu destino pode ser o Goiás, o Villa Nova-GO ou o Remo. Mas, independentemente do seu destino no segundo semestre deste ano, ele tem na ponta da língua com que camisa gostaria de marcar seu milésimo gol.

- Com certeza jogando pelo Botafogo, que é meu time de coração. Mas se não for pelo clube, que seja por outro, o mais importante é fazer.

Como diria Caetano: "Por que não? Por que não?"
Fonte: Globo.com (Thiago Fernandes)

Mâo boba!



Foto de príncipe William com brasileira causa polêmica
A capa do tablóide britânico The Sun traz nesta terça-feira uma reportagem sobre uma brasileira que teria sido “apalpada” pelo príncipe William. “Príncipe William posa para foto com duas meninas, e segura uma delas pelo seio”, diz a reportagem. O incidente teria acontecido quando a estudante brasileira Ana Laíse Ferreira, de 18 anos, pediu para tirar uma foto com o príncipe ao encontrá-lo em uma casa noturna da cidade de Bournemouth.

Fontes: BBC Brasil e IG

segunda-feira, 26 de março de 2007

Da janela vê-se o Corcovado, Redentor, que lindo!


Pedido do Tião Martins é ordem. Vamos votar.

"Fala PC! Como tinha te falado, estou lhe enviando em anexo o selo da campanha do Cristo para as novas 7 maravilhas do mundo. Temos votação pela internet e logo vai ser possível votar também pelo celular.
A criação é minha (texto/conceito) e do dalton romão (dir. de arte). A agência é a Aroldo Araujo Comunicação. Um abraço! Tião Martins".

O que é bonito é pra se ver


Recebi esse cliping "sinistro" do meu amigo Paulo Rodrigues. É pra quem gosta de boa música ("Esses moços", de Lupiscínio Rodrigues) e de boas imagens.

A frase do domingo

"(...) É feito ´A banda`: o Chico (Buarque) nunca viu a banda passar. Ele descreveu perfeitamente, mas por talento, e não por experiência".

Chico Anysio, que o repórter chama de "Anysio" e não de Chico, na Folha de sábado.

E também tem aquela do cara que encontrou um macarrão no... no... no...


Cliente encontra um fio de cabelo dentro de brigadeiro
Roberta Serraraccio reclama da Doceira Holandesa do Shopping Metrô Santa Cruz. Ela comprou brigadeiros e beijinhos para viagem. Mas, quando chegou em casa, teve uma desagradável surpresa.
"Quando distribui os docinhos, fui sorteada com um grosso fio de cabelo dentro do meu brigadeiro. Pensei que fosse um fio de plástico, sei lá, mas infelizmente era um cabelão", diz.
A leitora procurou o serviço de atendimento ao consumidor no próprio dia, mas não obteve retorno. Ligou novamente na semana seguinte, e eles ofereceram duas opções: devolver os R$ 2,50 ou trocar por um outro produto.
"Depois de passar por essa desagradável experiência, claro que quis meu dinheiro de volta. Até hoje, não recebi a quantia nem uma justificativa da Holandesa, nem ninguém foi à minha casa para retirar esse docinho desagradável que coloquei no lixo ontem."
"Fiquei bem desapontada pois considerava a doceira de qualidade. Porém, pude constatar que eles não se preocupam muito com a imagem."

Resposta: A matriz da Holandesa informa que comunicou o problema imediatamente à loja parceira, que prometeu tomar as providências necessárias. A responsável pela loja diz que ligou para a leitora pedindo desculpas pelo ocorrido e que ela poderia pegar outro brigadeiro ou ter o valor ressarcido. A doceria afirma que o Departamento de Controle de Qualidade analisa produto por produto. "Não sabemos como isso aconteceu."

Fonte: Folha de S. Paulo

Alemão do Big Brother é lindo, branco, louro, rico, macho e tem carisma. Jean Wyllys no Jornal de Debates


O vencedor do Big Brother Brasil 5, Jean Wyllys, escreveu um texto exclusivo sobre o Big Brother Brasil 7 para o Jornal de Debates (www.jornaldedebates.com.br). Como eu sou editor do Jornal, e fui eu quem fez o contato com ele, li. O cara escreve bem pacas. Tem conteúdo. Deu até vontade de assistir a esse programa.

Dêem "uma espiadinha", como diria o William Waak, digo William Bonner; ou seria o Pedro Bial?

" (...) No caso do Alemão, acho que o povo o identifica com Vadinho, personagem do livro e do filme “Dona Flor e seus dois maridos” (ambos, sucesso de público). Vadinho é o cara que humilha Flor, que chega a bater nela, mas sabe comê-la; sabe fazer, de Flor, uma mulher feliz na cama, além de ser inteligente, carismático e bem humorado. Alemão é o Vadinho do reality show, aquele anti-herói que cativa e, assim, roubou o posto de Dhomini, que tem uma persona bem parecida com a dele. Além disso, ele, Alemão, entendeu cedo que é o campeão e, desde então, vem jogando para a arquibancada. Ele não esquece nunca que está sendo filmado e manda recados para as câmeras o tempo todo – coisa que nem o Dhomini nem eu fizemos. (...)"

Quer ler mais: http://www.jornaldedebates.ig.com.br/index.aspx?cnt_id=15&art_id=7223

Mas lembrem-se sempre: EU NÃO VEJO O BIG BROTHER!

sábado, 24 de março de 2007

Jornal de Debates fora do ar!


Meus amigos
O que vocês estão fazendo no shutdown day? Se estiverem na Rede, mandem uma mensagem pra mim, por e-mail ou por aqui.
pc

quinta-feira, 22 de março de 2007

Será que ele é?


Vídeo mostra Alemão fumando um suposto "baseado" dentro da casa
Está circulando na internet um vídeo do You Tube que mostra Diego e Bruno (já eliminado da atração) fumando um cigarro dentro da casa do Big Brother Brasil que dá a entender ser de maconha.

De acordo com a versão on-line do Jornal do Brasil, Alemão teria oferecido o fumo para seus colegas de confinamento, mas somente Bruno teria compartilhado o cigarro com o louro. O vídeo mostra Diego embalando o fumo, depois ele olha para uma das câmeras e faz um sinal negativo com a cabeça.

Fonte - IG (Carolina Abraão)

quarta-feira, 21 de março de 2007

E você? Vai desligar o seu computador no dia 24?


Fonte: blog do Tiago Dória

Os políticos podem tudo, né?

Texto de Fernando Rodrigues na página 2 da Folha de hoje.

O Brasil profundo
BRASÍLIA - Quem paga Imposto de Renda conhece a situação infernal decorrente de algum erro cometido na declaração ao fisco. Não importa a natureza do engano. O nome do contribuinte cai num labirinto surrealista. A saída é incerta e penosa.
Se desejar corrigir o problema, o brasileiro comum enfrenta um calvário. Terá de ir pessoalmente a um posto da Receita Federal, retirar uma senha e esperar sua vez. Demora. Os azarados voltarão para casa de mãos abanando, porque faltou um determinado papel autenticado em cartório. Passam-se meses até que tudo se normalize.
Não para alguns políticos. Esse é o caso do deputado Valdir Colatto, do PMDB de Santa Catarina. Alistado para concorrer na gincana lulista pelo Ministério da Agricultura, Colatto teve sua situação fiscal vasculhada pela mídia. Encontrou-se muita coisa. Nenhuma condenação definitiva, é verdade. Mas, no Brasil, quem é condenado? Aqui é o país do "nada ficou provado". Chateado com os rastros de processos antigos, na segunda-feira de manhã Colatto instruiu sua assessoria a reclamar com jornalistas pela divulgação dos dados -informações públicas e disponíveis na internet.
Homem iluminado, avançou. Foi premiado no início da tarde de segunda-feira com um fato inusitado: o sumiço de seu nome no site da Receita Federal entre os que não têm certidão negativa de débitos.
Enquanto centenas de brasileiros esperam em filas calorentas, o laborioso político catarinense tirou a sorte grande com o fisco. Seu nome ficou limpo no dia em que mais precisou -coincidência, claro.
A Folha quis saber como uma pendência é solucionada tão rapidamente. Passaram-se 24 horas. A Receita Federal não respondeu de maneira satisfatória. O fisco sabe muito bem a quem respeitar.
Eis aí a DNA do custo Brasil.

Enquanto isso, continua a perseguição a professores, jornalistas, autônomos etc por causa de ninharias.

terça-feira, 20 de março de 2007

Vera Fischer é sempre "notícia"



"Por onde Vera Fischer passa, chama atenção. E no 19º Premio Shell de Teatro, que aconteceu na segunda-feira, 19, na Casa França Brasil, não foi diferente. Mesmo não concorrendo a nenhum prêmio, ela foi eleita a mulher mais sexy da noite. Com um vestido vermelho frente única, Vera exibiu um sensual decote que deixou à mostra um pouco mais do que devia. A atriz disse que o modelito foi escolhido especialmente para prestigiar a figurinista Kalma Murtinho - a homenageada da noite – e que foi responsável pelo figurino da peça “Porcelana fina” estrelada por Vera em 2006. A atriz que atualmente se aventurou como diretora teatral com a peça “Confidências”, estrelada por seu ex-marido Perry Salles mostrou que aos 55 anos continua deslumbrante".

Fonte: Globo.com

Foi pum real?


Sem comentários, né? Mas faço uma pergunta: caiu na rede é pum?

"Gratificação Pivete". Bela sacada do Jorginho

O meu amigo Jorge Antônio Barros acaba de postar um belo texto no blog "Repórter de Crime" e batiza a bolsa mensal do governo como "gratificação pivete". É por isso que quando crescer quero ser igual ao JAB.
O texto:

"Demorou, mas acho que agora encontrei um apelido para a bolsa mensal que o governo do estado pretende dar à família de menores infratores, como forma de recuperar o pequeno bandido: gratificação pivete. Houve uma época em que a polícia criou uma recompensa a policiais por bandido morto, a gratificação faroeste, que contribuiu muito para elevar as estatísticas de homicídios. Em 94, atingiu o ápice, com mais de oito mil mortes violentas. Essa gratificação também foi uma tragédia para a política estadual de segurança pública.

A bolsa para a família dos menores que furtam, roubam e até matam - que rendeu manchete do GLOBO de domingo - recebeu outro apelido, mais cruel que o meu: Bolsa crime. Está na seção de Cartas dos Leitores, que reserva duas das três colunas para o assunto. Se há alguém que acredita na eficácia dessa idéia, por que não se manifestou ao jornal? Todas as opiniões foram contrárias ao projeto".

Ouviramdun!

Mestre Ancelmo acaba de publicar no blog do Ancelmo um post sobre o Hino Nacional Brasileiro.
Lembrei dos meus tempos de estudante. Tive uma professora que tinha a mania de "copydeskar" o hino.

"Não é ´nossa vida em teu seio´; é no teu seio", garantia ela.

E ainda implicava com as tradicionais entonações das pessoas cantando o hino:

"Esse negócio de cantar ´colo... ossu´ e ´grande... eza´ me incomoda profundamente", reclamava a "tia". Fazia questão que a gente destacasse (?) a sílaba. "É colosso e grandeza; direto, sem entonação", insistia a sábia "fessora".

Abaixo a nota do Ancelmo:
Cultura
O Hino Nacional em linguagem de hoje
Cantar o Hino Nacional de ponta a ponta é muito difícil. A letra é um poema de Joaquim Osório Duque Estrada, que ganhou um concurso promovido em 1909. A música do hino teria sido composta entre 1822 e 1831. Sobre ela, recitavam-se algumas poesias exaltando a patria brasileira.
Duque Estrada manteve essa linha, mas seu poema foi todo construído em ordem inversa: "Ouviram do Ipiranga as margens plácidas/ De um povo heróico o brado retumbante/ E o sol da liberdade em raios fúlgidos/ Brilhou no céu da pátria nesse instante" quer dizer "As margens tranqüilas do rio Ipiranga ouviram o forte grito de um povo heróico, e só então, o sol da liberdade brilhou no céu do Brasil".

De olho na barata dela



Que idéia péssima essa do globo online de botar uma barata como pop up, sô! Um amigo meu, vascaíno e míope, quebrou o monitor do seu (dele) computador com um chinelo, pensando que era uma barata de verdade.
Se ainda fosse um outro tipo de barata... como a que ilustra esse post...

segunda-feira, 19 de março de 2007

Elimine o Betão e alegre o Alemão!


Minha babá-chefe, Germana Schneider, pediu e eu faço tudo o que ela pede. Afinal, ela me dava bife com fritas quando meu pai queria que eu comesse jiló, ela separava a gema da clara quando eu queria comer ovo frito, ela ficava acordada até às 22h quando eu ainda não tinha a chave de casa...

E o que eu fiz por ela?

Apenas ensinei o filhinho dela a cantar aquela musiquinha do Cremogema. Que dizia assim" "Cremo, cremo, cremo, cremogema, é a coisa mais gostosa desse mundo (...) Cremoge...MA!".

Por isso, a pedido dela aderi à campanha do:

"Elimine o Betão e alegre o Alemão".

Mas lembrem-se sempre: EU NÃO VEJO O BIG BROTHER!".

domingo, 18 de março de 2007

Collor é isto! É sempre bom lembrar 2


A farsa de Collor
MARCO ANTONIO VILLA
ESPECIAL PARA A FOLHA


NA ÚLTIMA quinta-feira, o Senado Federal protagonizou mais um triste espetáculo. O senador Fernando Collor foi à tribuna e discursou por mais de três horas. Foi aparteado diversas vezes, sempre com rasgados elogios. Chorou, assim como outros senadores choraram.
Se um estrangeiro estivesse assistindo à sessão e desconhecesse a história recente do Brasil, poderia imaginar que o senador alagoano teria sido vítima de um processo cruel, de uma injustiça sem tamanho. Ledo engano.
Collor foi impedido de continuar na Presidência da República não por algum artifício das elites, mas por ter ferido gravemente a ética republicana. Depois de uma CPI -e com um presidente, Benito Gama, que era do PFL, partido que apoiava o governo- foi pedido o impeachment por uma ampla gama de entidades da sociedade civil, lideradas pela OAB e pela ABI, sem esquecer a participação do movimento estudantil, que liderou inúmeras passeatas pelo Brasil. A Câmara dos Deputados aprovou o impeachment por 441 votos a favor e apenas 38 contra. No Senado, foram 76 favoráveis e cinco contra. De acordo com pesquisa do Datafolha, pouco antes do impedimento, 84% da população considerava o governo ruim ou péssimo.
Portanto, o resultado do processo não foi uma armadilha da elite contra o presidente dos "descamisados", mas produto de dois anos e meio de um governo desastroso e que já tinha anunciado seus "métodos de trabalho" quando, às vésperas do segundo turno da eleição presidencial, em dezembro de 1989, levou ao horário eleitoral gratuito uma ex-namorada de Lula que o acusava de ter sugerido um aborto, depoimento que foi decisivo para a vitória de Collor.
Logo ao assumir congelou todos os ativos financeiros, infelicitando a vida de milhões de brasileiros e arruinando a vida de milhares de pequenos poupadores. Fez dois planos de estabilização econômica que fracassaram redondamente. A inflação em 1990 foi de 1.198%, no ano seguinte "caiu" para 481% e em 1992 chegou a 1.157% . O crescimento do PIB foi negativo em 1990 (4,3%), quase nulo no ano seguinte (0,3%) e voltou a ser negativo em 1992 (0,8%).
Se os resultados econômicos foram péssimos, pior ocorreu com a ética republicana. Desde a posse foram surgindo na imprensa diversas denúncias de corrupção. Com o passar dos meses, a figura sinistra de Paulo César Farias, ex-tesoureiro da campanha de Collor, se transformou em eminência parda de negócios nebulosos envolvendo empresas fornecedoras do governo federal. Em 1992, foi o próprio irmão do presidente, Pedro Collor, que denunciou um esquema de corrupção que supostamente envolvia PC Farias e Collor, motivo da abertura da CPI.
Vestir o figurino de republicano impoluto, buscar com os assessores citações de autores clássicos, comparar-se com outros presidentes (e com exemplos equivocados, como a "extradição" de Washington Luís), falar com voz embargada, tudo foi uma farsa. Como ensina o dicionário Houaiss: "uma ação ou representação que induz ao logro; mentira ardilosa, embuste".

--------------------------------------------------------------------------------
MARCO ANTONIO VILLA, 50, é professor de história da Universidade Federal de São Carlos (SP) e autor de "Jango, um Perfil (1945-1964)".

Collor é isto! É sempre bom lembrar 1

Clóvis Rossi hoje na Folha escreve pra que as pessoas não esqueçam quem é o "debochado" e arrogante Collor de Mello.

Collor-2010
Fernando Collor de Mello parecia uma anomalia na política brasileira. Afinal, conseguiu a extraordinária proeza de ser o único presidente, na indecorosa história da República, a ser punido por falta de decoro. Na quinta, o indecoroso que já não o é, segundo seus pares, foi reverenciado pelos virtuosos que nunca o foram, mas fingiam sê-lo. A começar pelo PT, seu mais implacável adversário até anteontem, que silenciou sobre tudo o que Collor simboliza. Ajuda-memória, complementar ao belo artigo do historiador Marco Antonio Villa publicado ontem por esta Folha: Collor é a Casa da Dinda e seu fausto de república bananeira; é a Operação Uruguai e a entronização do caixa dois; é PC Farias e seus negócios escusos à sombra do poder e sua morte até hoje inexplicada, o que leva à inescapável suspeita de queima de arquivo.
No campo administrativo, Collor é o confisco da poupança e de ativos financeiros e também dois anos de recessão em três de gestão. Como é possível silenciar diante de tamanha esculhambação? Simples: os dois partidos que se revezam no poder no pós-Collor mantiveram a esculhambação no mais alto do pódio. O pós-Collor é a compra de votos para aprovar a emenda da reeleição, é conduzir suculentas privatizações "no limite da irresponsabilidade", é o mensalão, são os sanguessugas, é Waldomiro Diniz, é a quebra do sigilo bancário de uma testemunha potencialmente incômoda para uma alta autoridade (extremo, aliás, a que não chegaram os "colloridos"). Tudo somado, tem-se que, em vez de anomalia, Fernando Collor de Mello é o político-padrão da pátria, se me perdoam os poucos que fogem do padrão. Dá um bom candidato para 2010. Já está mesmo na base governista, com o PTB, e como se viu, tem a simpatia do PSDB e do PFL.

Daqui não saio daqui ninguém me tira


Deu no Globo. Em Chonqging, na China, o proprietário do imóvel se recusa a vender o terreno. No local será construído um edifício. Ah se a moda pega no Brasil!

Elio Gaspari e o Di de Glauber




Destaco na coluna de Elio Gaspari de hoje uma nota sobre o "genial" documentário de Glauber Rocha sobre Di Cavalcanti postado no blog de Antonio Mello (www.blogdomello.blogspot.com). Vale a pena ir lá. Quem não conheceu Glauber, vai ter uma idéia do que ele fazia. Muito doido!
Cobri como repórter, em início de carreira, esse velório que ele filmou. Me lembro da cena. Ninguém entendeu nada.

A frase do domingo

"Não espere muito de uma pessoa de 20 anos"
(Airton Negão, do BBB7).

Estava à toa na vida, lendo Schopenhauer, quando Margot, a amiga da minha babá, passou e me contou sobre a mais nova "jóia" do Negão. Ela me disse que o Cowboy tem chances de ser indicado pro paredão. Não sabia que Fidel e os barbudinhos faziam parte do jogo.
Então: "Paredón no Cowboy!".
Mas lembrem-se: EU NÃO VEJO O BBB!

sábado, 17 de março de 2007

Cleópatra desbundada


Dançarina recebe indenização por perder nádega em cirurgia

Julia Meyer, 38, uma alemã que trabalha como dançarina do ventre, recebeu uma compensação de US$ 24 mil após uma lipoaspiração mal-sucedida. A mulher, que atende pelo nome artístico de Cleópatra, procurou um cirurgião plástico de uma clínica particular de Munique a fim de tirar umas gordurinhas das coxas. Entretanto, o médico, cujo nome não foi revelado, acabou retirando gordura de sua nádega direita, que ficou desfigurada.

Cleopatra declarou ao site Ananova que só descobriu o ocorrido após a cirurgia, por causa da anestesia. "Quase desmaiei quando vi que metade do meu traseiro havia desparecido. Ele foi completamente sugado," disse. A Justiça considerou que ela não conseguirá mais trabalhar como dançarina por causa do erro médico e condenou o cirurgião.

Fonte: Paulo Ernesto Santos (IG)

Grande sacada de Mestre Ancelmo!


Fonte: coluna do Ancelmo em O Globo

Superman de araque. Ele pensou que tinha a força?



Jovem diz que é Super-Homem e salta de prédio
Na cidade de Graz, Sul de Viena, um homem que afirmava ser o Super-homem, se deu mal ao saltar da janela do 4º andar de um prédio. O "herói", de 23 anos, machucou a cabeça e as costas e só não se feriu mais pois caiu em cima de um telhado.

Os paramédicos que o atenderam dizem que o rapaz havia sim bebido várias garrafas de vinho e devia estar meio louco quando cometeu a maluquice. Testemunhas ainda contaram que o jovem gritou "Sou o Super-homem e nada pode comigo" antes de saltar.

Fonte: Diane Ferreira Machado (IG)

A ilustração fantástica é do Ziraldo.

Do you speak english?

Às vésperas do Pan, prostitutas aprendem inglês
O professor Mariano Capote, 24 anos, dá aulas de inglês para as mulheres da mais antiga zona de prostituição do Rio. Atualmente, um grupo de 20 profissionais do sexo tem três horas semanais de aulas num casarão antigo dentro da vila. Segundo a Folha de S.Paulo, a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia anunciou no início desta semana que novas turmas serão abertas.

"Depois de mais de dois anos batendo, sem sucesso, em portas de escolas públicas e igrejas com esse projeto de dar aulas de inglês para carentes, as mulheres daqui me receberam de braços abertos e estou adorando", disse o professor, que ganha a vida dando aulas particulares na zona sul carioca.

A Vila Mimosa atrai mensalmente 120 mil homens por mês e reúne cerca de 3.500 prostitutas em ruas de São Cristóvão, zona norte da cidade . Os números foram dados pelo Coletivo de Mulheres da Vila Mimosa, ONG formada por prostitutas da região, que participa do projeto. Prostituição não é crime no Brasil e é uma profissão regulamentada pelo Ministério do Trabalho.

Fonte: O Dia

O que é isso companheiro?


Vi essa foto hoje de manhã cedo. Como passei o dia inteiro trabalhando na rua, não pude postar hoje. Mas não poderia deixar passar em branco minha indignação com esse tipo de coisa. A Polícia não tem o direito de fazer isso. São crianças, pô! E a privacidade? E a intimidade? Principalmente das meninas. Por que não usar policiais femininas pra fazer isso?
Transcrevo abaixo o texto do meu querido amigo Jorge Antônio Barros, publicado no seu blog em O Globo, "Repórter de crime". Pensamos da mesma forma.
pc


"Com o fuzil em punho e uma camiseta enrolada na cabeça, que lhe dá um aspecto pouco civilizado, o policial civil revista a estudante de uma escola municipal na passarela de Vigário Geral. Mais crianças foram revistadas. Na operação foi preso um traficante considerado importante. Foi uma reação à morte de um PM, em tiroteio com traficantes na favela. Tem que fazer operação mesmo, quantas forem necessárias. Sobre isso não há dúvida.

Mas se a polícia sabe que vai lidar com todo tipo de gente nas comunidades por que não se prepara e leva, por exemplo, policiais femininas que não estejam ostensivamente armadas para revistar crianças e senhoras de idade? É uma sugestão objetiva para que se evite o espetáculo deprimente que é ver crianças sendo submetidas a um tratamento rigoroso dado pela polícia. Os puristas podem alegar que quem não deve não teme, mas façam-me o favor. Qualquer pessoa adulta sabe da dificuldade que é ser abordada por um homem fortemente armado em qualquer circunstância. Imagine o trauma que não deve ser para uma criança.

O "Extra" em sua primeira página de hoje pergunta: "E se fosse na Zona Sul?" Isso já aconteceu na Zona Sul, durante a Operação Rio, em 94, quando soldados do Exército, armados de fuzis, revistaram crianças na descida do Morro Dona Marta, em Botafogo. A questão vai um pouco além, da área da cidade partida, onde ocorre a polícia atua. Se essas crianças estivessem saindo de uma escola particular em área nobre da cidade ou de casa, num condomínio de classe média (onde também existe tráfico de drogas), talvez não recebessem esse tratamento.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança do estado, numa atitude pró-ativa, já me mandou até um e-mail informando que a ação do policial foi "tecnicamente correta". Segundo a assessoria, uma criança de nove anos foi pega levando uma pistola numa bolsa, ontem mesmo. Mas isso é uma outra história.

Foto: Guilherme Pinto)

N.do B. Cometi um erro ao escrever que o policial estava com o dedo no gatilho, mas ele está apenas com a arma em punho. "

sexta-feira, 16 de março de 2007

Bob Esponja curitibano


Sem comentários.Meu amigo Wilson Baroncelli mandou.

quinta-feira, 15 de março de 2007

A conta do corno, por favor!


Meu amigo Guilherme Duncan manda a colaboração acima.

quarta-feira, 14 de março de 2007

Vasco da Gama, teu passado te condena


Tá rolando na Internet. Agora a gente entende a sina pelos vices.

TV Globo avisa que vale casar homem com homem e mulher com mulher


Fonte: coluna do Ancelmo Gois

Gabo de olho roxo


A coluna "Toda mídia", de Nelson de Sá, na Folha de S. Paulo, publica hoje a foto de Gabriel García Márquez com o olho roxo (no caso em p&b) após a célebre briga que teve com o peruano Vargas Llosa em 1976.

E o doido do Gabo ainda riu pra foto!

Tenho um monte de amigos pecadores

Papa diz que segundo casamento é uma praga
No documento eucarístico O Sacramento do Amor, divulgado nesta terça-feira, o papa voltou a dizer que o celibato é uma benção para os sacerdotes e condenou o segundo casamento de pessoas já divorciadas.

Para Bento 16 o segundo casamento é "uma verdadeira praga do ambiente social contemporâneo que vai, progressivamente, corroendo os próprios ambientes católicos." O documento confirmou ainda que os divorciados católicos continuarão sem receber a comunhão. A discussão sobre esses temas têm causado polêmica. Muitos católicos acreditam que Bento 16 quer reforçar a posição da Igreja em torno dos valores fundamentais da religião. Mas, os críticos acusam a Igreja de estar desconectada com a sociedade atual.

Fonte: BBC Brasil

terça-feira, 13 de março de 2007

Vixe! Vai dar M...


Maior autoridade militar de EUA escandaliza ao considerar homossexuais "imorais"
O chefe do Estado-Maior conjunto dos EUA, general Peter Pace, considerou "imoral" a homossexualidade, em entrevista divulgada nesta terça-feira, gerando uma forte reação entre os defensores dos direitos dos homossexuais, que exigiram uma retratação. Em entrevista ao Chicago Tribune, Pace defendeu a manutenção da atual política do Exército que obriga os homossexuais a ocultar sua condição sexual, comparando as relações homossexuais ao adultério. (...)"

Fonte: UOL
http://noticias.uol.com.br/ultnot/afp/2007/03/13/ult34u176366.jhtm

segunda-feira, 12 de março de 2007

Tudo bem que o amor é lindo, mas será que não está na hora de uma nova greve de fome?


Esse casal é insistente mesmo. Não adianta. Mas por falar em amor é lindo, alguém soube o que aconteceu com o "príncipe" e a "madama"?

Big Brother Brasil 7 - Família de Vinícius veta músicas no programa


Família veta músicas de Vinicius no ‘BBB 7’Os herdeiros de Vinicius de Moraes (1913-1980) proibiram a Globo de executar músicas compostas pelo poeta no "reality show" "Big Brother Brasil".
Na semana passada, a Globo foi notificada do veto. A advogada da família de Vinicius não esclareceu à emissora a razão da proibição. A Folha procurou o escritório que administra os direitos autorais do compositor, mas não obteve resposta.
A decisão dos herdeiros de Vinicius de Moraes, um dos nomes mais importantes da MPB, surpreendeu a Globo, rede que freqüentemente usa composições do poeta em suas trilhas.
Antes do veto, a emissora já havia usado em "BBB 7" duas músicas de Vinicius, cada uma duas vezes, ambas autorizadas pelos herdeiros do poeta (que recebem por isso) que agora rechaçam o programa. Foram "Consolação" (parceria com Baden Powell), interpretada por Silvio Cesar, e "Se Todos Fossem Iguais a Você" (com Tom Jobim, por Cris Delanno).
Nos bastidores de "BBB 7", acredita-se que o veto foi causado por preconceito. O que intriga os profissionais do programa é que Vinicius, hoje lembrado em fotografias em que aparece bebendo e fumando, não era um homem moralista, a ponto de seus herdeiros considerarem ofensivo sua obra ilustrar um programa feito de mulheres bonitas. A hipótese de preconceito contra o nível cultural dos participantes do programa é a mais cogitada.

Fonte: Folha de S. Paulo - Cotidiano - Coluna "Outro Canal", do Daniel Castro

Mas lembrem-se: EU NÃO VEJO O BIG BROTHER.

domingo, 11 de março de 2007

Lula de novo!


Grande sacada do Kibeloco

Pé de valsa, de rock, de samba, de jazz, de funk...


Lançado o primeiro tênis com tocador de MP3

Lançado o primeiro tênis que toca MP3, chamado de Dada Foot Wear, que começará a ser vendido por US$ 199. Por ninguém ainda ter usado o par de tênis, ainda não há opinião sobre sua durabilidade ou sua qualidade, mas já se sabe que eles podem armazenar até 100 músicas e tem bateria recarregável com 6 horas de duração, o suficiente para andar ou correr grandes distâncias antes de ser recarregada.

A música é transmitida por fones sem fio, que reproduzem som a até 9 metros de distância do tênis, portanto a altura de nenhum usuário é encarada como um problema, mas a transmissão pode ser posta em prova quando duas pessoas que tenham o produto resolverem passar perto uma da outra. Para transferir as músicas, basta conectar o cabo USB em sua lateral. O site oficial do produto está fora do ar devido ao acesso intenso de usuários, por isso mais informações sobre o " Dadas" serão noticiadas assim que o site estiver disponível.

O site Gearlog afirma que se os tênis forem bem sucedidos, a empresa criadora já planeja uma integração com telefones celular e também colocar arquivos com treinos de exercícios para o calçado.

Fonte: IG (Jackson Douglas)

Será que é preciso tocar pra tocar?



Meu colaborador Ricardo Dungó manda a "pérola" abaixo, publicada no IG. E comenta no final: "Ps: já tenho meu mp3 player aqui, só falta iniciar o implante agora".

Seios de silicone podem tocar MP3
Alguns cientistas e futurologistas da BT Laboratories tiveram uma idéia inovadora, chocante e no mínimo ousada. Decidiram juntar a tecnologia atual com a estética e prevêem que daqui a 15 anos, com a evolução tecnológica, possam existir Implantes de Silicone com MP3 Players.

Isso mesmo que você leu, brevemente as mulheres poderão ter e escutar música dos seus seios. De acordo com o jornal inglês The Sun, o MP3 Player funcionaria com chips colocados junto ao implante de seios. Em um dos seios seria propriamente dito o MP3 Player e em outro seria a memória de arquivos musicais.

Para a pessoa escutar os arquivos, basta ter um headphone que pegará o sinal via Bluetooth, assim como os downloads para o acervo pessoal. Segundo o analista Ian Pearson da BT Laboratories, eles querem transformar os Implantes de Silicone em algo realmente útil, além de ser apenas decorativo e estético. Ainda visam a possibilidade de se usar vários sensores implantados que através de impulsos elétricos possam medir as batidas do coração, pressão arterial, diabetes e até câncer de mama. É esperar para ver e crer.

Fonte: Jackson Douglas (IG)

Estava mesmo na hora de perfumar a página depois do que foi publicado abaixo


Calvin Klein lança perfume para blogueiros
Calvin Klein, focado no público blogueiro, anuncia a fragrância ck IN2U, um perfume para blogueiros, isto é, para passar antes que fique sentado na frente do computador. Segundo a Calvin Klein, o perfume é voltado para a "technosexual generation" , a geração que nasceu entre 1982 e 1995 e que hoje usa blogs, torpedos [SMS] e MSN para namorar e se comunicar. O lançamento do perfume é previsto para daqui a um mês em uma rede social, como o Orkut. A campanha de marketing se apóia na frase: "She likes how he blogs, her texts turn him on. It's intense. For right now".

Fonte: IG (Jackson Douglas)

sábado, 10 de março de 2007

Quem foi que disse que jornal só tem notícia ruim? Está chegando a hora?


PF prepara indiciamento de Jefferson e mais quatro
A Polícia Federal prepara o indiciamento de Roberto Jefferson (RJ), presidente do PTB, no episódio que deu origem ao escândalo do mensalão: o caso dos Correios. Jefferson será acusado de formação de quadrilha. (...)

Tomara que realmente esteja chegando a hora de esse dedo-duro, uma das piores coisas geradas pela política, pagar o preço. Aliás, de onde veio e para onde foram os 4 milhões que esse troço declarou ter recebido?
Escrotidão também tem limites. Chega de impunidade pra esse verme!

Fonte: Blog do Josias

Lula lá?


Na saída do Incor, Lula leva beijo de fã

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou um beijo de uma fã mais ousada após passar por um check-up de rotina no Instituto do Coração, em São Paulo.

É hoje que o presidente vai apanhar em casa!

Fonte: Globo.com

Piauí é aqui



Saiu a revista piauí 6. Pra variar, boa pra cacete. Estou lendo. Dessa vez, publico um dos artigos, que eles colocaram no site da revista. Leiam.

Alô alô João: acho que já está na hora de mandar mais bolinhos. Pode ser de um dia pro outro; não tem problema.

despedida
O funcionário que não pediu perdão
Condenado por cumplicidade em crimes contra a humanidade,
Maurice Papon é enterrado com a Légion d´honneur no peito


O ancião falava com vigor, no tribunal do júri da cidade de Bordeaux, capital do departamento da Gironda, no interior da França. Porte altivo, ele cravou os olhos muito azuis no promotor e lhe disse bem alto, quase aos gritos: “O senhor vai entrar para a História – mas pela entrada de serviço!” Parecia ser ele o acusador, no julgamento de 1998, e não o réu. A frase, de dicção senhorial, informa alguma coisa sobre quem a disse, o alto funcionário, ex-deputado e ex-ministro Maurice Papon. Aos grandes de França, aos filhos de famílias ilustres, aos altos funcionários que serviram à República com denodo, aos Papon, enfim, caberia conduzir o país e, nessa condição, entrar triunfalmente nos anais da História. Aos outros caberia, quando muito, a porta dos empregados.

Maurice Papon teve uma carreira exemplar. Cursou boas escolas, formou-se em direito e ciências políticas, serviu no 2º regimento de infantaria colonial, em Trípoli, e apoiou a Frente Popular. Durante a ocupação da França pela Alemanha, foi secretário-geral da Gironda e dirigiu o Serviço de Questões Judaicas do regime colaboracionista de Vichy. Com a Liberação, ele exibiu um certificado mostrando que, desde o início de 1943, militava clandestinamente na Resistência.

A vida prosseguiu e Papon galgou postos. Foi administrador da Córsega, serviu na Argélia e De Gaulle o condecorou com a Légion d’honneur. Em 1958, foi nomeado chefe de polícia de Paris, cargo que ocupará durante oito anos. Foram tempos difíceis. Em 1961, ele comanda pessoalmente a repressão de uma manifestação pela independência da Argélia. No ano seguinte, sob suas ordens, a polícia ataca outra passeata, essa de protesto de argelinos. Vieram tempos mais amenos e gloriosos. Papon se elegeu deputado e prefeito e, por duas vezes, foi nomeado ministro.

Entre o fim da Guerra e o início dos anos 80, cultivou-se com afinco a narrativa heróica dos feitos da Resistência. Inventado por De Gaulle, e sacramentado no dia mesmo da retomada de Paris, no discurso que o general fez no Hotel de Ville (“Paris martirizada, mas Paris liberada! Liberada por ela mesma, liberada pelo seu povo, com o concurso da França inteira, da França que luta, da única França, da verdadeira França, da França eterna!”), o mito de que o regime de Vichy não teve nada a ver com a França estava disseminado por praticamente todas as instituições. Houve algumas fissuras, como o documentário A tristeza e a piedade, mas nada que botasse abaixo a imagem que o grosso da França fazia de si mesma.

Papon completara 70 anos. Era ministro do Orçamento. Estava prestes a entrar na História pela porta da frente. Resolveu então fazer uma inspeção fiscal nas finanças do jornal Le Canard Enchaîné. A inspeção fazia sentido, do ponto de vista da autoridade: o Canard é um jornal satírico que investiga a fundo a vida dos poderosos, e os irrita a mais não poder. O semanário revidou investigando a vida de Papon. Teve início uma dinâmica que levou ao verdadeiro Papon.

Descobriu-se então que, entre 1942 e 1944, o então secretário-geral da Gironda assinou as ordens de prisão e deportação de 1 500 judeus, inclusive 220 crianças. Documentos mostraram que os presos foram internados no campo de Drancy, nos arredores de Paris. De lá, foram encaminhados a uma misteriosa destination inconnue. O destino desconhecido ficava na Polônia. Era o campo de extermínio de Auschwitz.

Os fatos começaram a fazer sentido. Foram mais de quinze anos de revelações, pesquisadas por jornalistas, historiadores e, sobretudo, descendentes das vítimas do alto funcionário da Gironda. Ficou-se sabendo que, muito provavelmente, o certificado de que Papon integrara a Resistência era uma fraude. Soube-se que De Gaulle tinha pleno conhecimento de que Papon não fora resistente e ordenara a deportação de judeus. Soube-se que, na repressão da manifestação de argelinos em Paris, em 1961, morreu mais de uma centena de civis, e que Papon mandou que seus corpos fossem jogados no Sena.

Só em 1997 familiares dos deportados conseguiram levar Maurice Papon ao tribunal do júri da Gironda. Isto porque os fatos foram conhecidos aos poucos. E eles mostravam que não apenas Papon se saía mal. O presidente socialista François Mitterrand, por exemplo, também fora funcionário de Vichy. De fato, a maioria dos franceses vivera pacificamente durante o governo do marechal Pétain. Os resistentes foram mais do que raros; foram exceção.

O julgamento de Papon começou em outubro de 1997. Esperava-se que ele terminasse até o fim do ano. As audiências continuaram por 1998 adentro; janeiro, fevereiro, março... Dia após dia, os depoimentos eram transcritos pelos jornais e analisados na televisão. O processo não foi uma catarse coletiva. Mas jamais, antes, o comportamento dos franceses durante a Ocupação foi analisado com tanta profundidade. Em abril, saiu o veredicto: ele foi condenado, por “cumplicidade em crimes contra a humanidade”, a dez anos de prisão.

Não houve quem se rejubilasse com a decisão. Os familiares das vítimas consideraram a pena branda. Seus advogados a viram como uma crueldade contra um ancião. Nos jornais e nos meios políticos, a percepção geral é de que a punição veio tarde demais. E que, na prática, ela pouco adiantava como exemplo de combate ao anti-semitismo.

A novela não terminou aí. A defesa apelou. Em 1999, na véspera da decisão de última instância acerca da sua prisão, Papon fugiu para a Suíça. Foi detido num hotel e recambiado para a França. Só então começou a cumprir pena, na prisão de La Santé. A defesa fez um apelo ao presidente François Chirac para que concedesse a graça, permitindo que ele cumprisse a pena em casa, em função da idade avançada. Chirac não concedeu a graça presidencial. Só depois de três anos na prisão, com base no atestado de uma junta médica, dizendo que a sua prisão era incompatível com seu estado de saúde, ele pôde cumprir a pena em prisão domiciliar. A decisão foi bastante contestada. Mas não havia o que fazer, judicialmente.

O caso não acabou aí. Papon foi fotografado usando a Légion d’honneur, que lhe havia sido cassada, em 1999, e a foto foi publicada numa revista. Ele foi acionado judicialmente, para que não a usasse mais.

Maurice Papon jamais admitiu ter sido um criminoso. Ele reconheceu ter assinado as ordens de prisão e deportação, mas dizia “não saber” que os deportados seguiam para Auschwitz e para a execução. Para juristas franceses, a decisão estabeleceu um princípio importante: a autoridade é obrigada a saber, não pode alegar desconhecimento, as decorrências dos seus atos. Como nunca reconheceu seus crimes, ele jamais pediu perdão às suas vítimas, ou aos parentes delas.

Papon morreu no sábado, 17 de fevereiro passado. Antes, fez com que seu advogado, Francis Vuillemin, prometesse zelar para que fosse enterrado com sua comenda pregada no peito. “Mantive a minha promessa”, disse o advogado, depois do enterro. “A cruz de comandante da Légion d’honneur, colocada pelas mãos do próprio general De Gaulle, vela sobre a alma de Maurice Papon pela eternidade afora.”

sexta-feira, 9 de março de 2007

Maxxxo com 3 xis vai usar isso?


Empresa francesa lança meia-calça para homens
Um fabricante francês de meias-calças acaba de lançar uma linha desenvolvida especialmente para homens.
A empresa decidiu lançar a novidade, que já chegou às lojas, depois de constatar que havia demanda no mercado pelo produto.

“Desde a criação de nosso site na internet, em 2005, começamos a receber vários pedidos diários de homens que gostariam de saber quando iríamos criar uma linha de produtos específica para eles”, afirma Annick Desamy, diretora comercial da marca Gerbe.

Segundo ela, muitos dos homens que escreveram à empresa já utilizavam meias-calças femininas. Um sinal de que há muitos homens interessados nesse tipo de produto na França é a existência de um site internet dedicado exclusivamente ao assunto, o www.collants-mode.fr.

Piadas

Seu criador reconhece em um texto na página de abertura que o site é motivo de piadas, mas afirma querer demonstrar que é possível ser sexy e masculino, mesmo usando meias-calças. O site informa também que ele não representa um ponto de encontro de homossexuais ou fetichistas.
O site traz depoimentos de homens que dizem usar regularmente meias-calças e que se sentiam obrigados a esconder esse hábito.

Alguns dos internautas esperam que esse lançamento na França permita “a evolução das mentalidades”. As meias-calças para os homens levam em conta o tamanho dos pés e têm maiores dimensões na região da cintura, além de uma abertura transversal, como a das cuecas.

A empresa criou meias-calças com pés ou sem pés, na cor preta opaca, para serem vestidas sob calças ou roupas de ginástica, além de transparentes, nos tons da pele ou pretas, para serem usadas com bermudas. A Gerbe desenvolveu também meias três-quartos que teriam, segundo o fabricante, o efeito de estimular a circulação sangüínea ou relaxar, para homens que costumam ficar muito tempo em pé ou sentados.

A empresa fabricou inicialmente seis mil unidades das novas meias-calças masculinas, mas prevê que o estoque se esgote rapidamente. “Acreditamos que ele será realimentado constantemente”, diz a diretora comercial. “Hoje os homens têm um senso estético muito mais amplo. Basta ver o que ocorre no setor dos cosméticos, com todos os cremes desenvolvidos especialmente para eles”, afirma.

Fonte: BBC Brasil (Daniela Fernandes, de Paris)

quinta-feira, 8 de março de 2007

Vovó viu a erva


Avó de 68 anos é condenada por posse e cultivo de maconha
Uma avó britânica que faz campanha pelo uso medicinal da maconha foi condenada nesta quarta-feira por cultivo e posse da droga.

Patricia Tabram, de 68 anos, defendeu a si mesma durante o julgamento no tribunal de Carlisle, no nordeste da Grã-Bretanha, e acabou condenada a prestar 250 horas de serviço comunitário. A avó afirma que utilizava a droga para melhorar os sintomas de depressão e as dores causadas por dois acidentes de carro.

Tabram foi presa depois que a polícia recebeu uma denúncia e encontrou quatro plantas de cannabis crescendo no armário dela, na cidade de Humshaugh. A polícia também encontrou pó feito de maconha em um pote na cozinha. Tabram disse que utilizava o pó para cozinhar e confessou que seu freezer estava lotado de comidas e sorvetes contendo a droga.

Legalização
O caso tem sido citado como exemplo em campanhas pela legalização da maconha na Grã-Bretanha. Em abril de 2005, Tabram recebeu uma sentença de prisão de seis meses, que acabou sendo suspensa por dois anos. Segundo a decisão, a avó poderia ser presa caso cometesse uma nova infração durante esse período. Antes do anúncio da sentença, a juíza Bárbara Forrester chegou a dizer que não poderia descartar a possibilidade de mandar Tabram para a prisão porque a ré havia violado a sentença suspensa.

"Eu sou velha e estou cansada", disse Tabram. "Estou decepcionada com a atitude do tribunal para com alguém da minha idade, meus problemas de saúde e a forma como lido com eles. Eu quero apenas ir para casa e descansar", disse.

Fonte: BBC Brasil

Quem foi que disse que jornal só tem notícia ruim?


US$ 11,6 milhões
O deputado Paulo Maluf e o filho Flávio são acusados por remessa ilegal de dinheiro. Eles foram indiciados pela promotoria de Nova York.
O promotor Robert M. Morgenthau, de Nova York (EUA), anunciou nesta quinta-feira (08) o indiciamento do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), de seu filho Flávio e de outras três pessoas, todas acusadas pelo envio ilegal de US$ 11,6 milhões (R$ 24,4 milhões) do Brasil para um banco norte-americano. Depois, os dólares teriam sido enviados para um paraíso fiscal.

Fonte: G1

PM paulista espanca estudantes em manifestação contra Bush


E tome covardia contra estudantes desarmados!

Protesto contra Bush em São Paulo. Ah se as PMs tivessem essa energia e essa atitude contra os bandidos!


Por que a PM gosta tanto de bater em estudantes?
Eita covardia!

Ruim de roda


Motorista distraída erra marcha e invade loja
O incidente aconteceu nesta quinta-feira em Brasília.
A vitine da loja ficou completamente destruída.

Motorista distraída erra a marcha do carro e invade loja em quadra comercial na cidade de Brasília. Maria da Costa, de 70 anos, estava parada no estacionamento. Na hora de sair, ela se enganou e em vez de engatar a ré, colocou a primeira marcha e acelerou. O veículo foi parar dentro de uma boutique. Assustadas, as vendedoras não quiseram falar. Ninguém ficou ferido.

Veja o site do DFTV
O carro pulou e foi entrando devagar na loja. Eu estava passando na hora e minha reação foi quase segurar o carro e correr para ligar para a polícia. A menina que trabalha na loja ficou muito assustada e quase teve um surto”, conta o comerciante Marcelo Oliveira.
A porta de vidro de uma loja na 113 Sul ficou completamente destruída com o incidente. Nervosa, a motorista tentou tirar o carro, mas foi impedida pela polícia. Ela ainda se irritou com a imprensa.

Fonte: Globo.com