Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Ah se o Tolito estivesse vivo!


Leio no site do Dia que vão expulsar os jornaleiros da Avenida Rio Branco, no centro do Rio. Lamentável. Os mais antigos bem informados vão lembrar. Até nisso o Botafogo tem história. Duvido que fizessem isso se o Tolito estivesse vivo. Quem foi Tolito? Diz aí, Rui Moura: 

Tolito e a Ágora Botafoguense

Helito Fonseca, conhecido por ‘Seu Tolito’, foi um torcedor botafoguense fanático, em cuja banca de jornais, na Avenida Rio Branco fazendo esquina com a Rua 7 de Setembro, tremulava constantemente a bandeira alvinegra e constituía o ponto de encontro de debates populares alvinegros sobre futebol.

Nesse tempo das décadas de 1950 a 1970 existiam torcedores populares muito influentes nas políticas dos clubes, que serviam como uma espécie de catalizador para transmitir às diretorias o sentimento e a paixão das torcidas. Eram os mediadores entre os torcedores, por um lado, e os dirigentes, jogadores e jornalistas, por outro.

Vários são os exemplos de torcedores populares e chefes de torcida outrora influentes nos clubes: Jaime de Carvalho, que fundou a Charanga do Flamengo em 1942; João de Lucas, que fundou a Torcida Organizada do Vasco da Gama em 1944; Dulce Rosalina, que sucedeu a João de Lucas em 1956; Paulista, que fundou a Torcida Pó-de-Arroz do Fluminense em 1952; etc.

No nosso clube são famosos os nomes de Salvador Peixoto, que fundou a 1º Torcida Organizada do Botafogo nos anos quarenta, o qual deu o lugar a Tarzan em 1957 e, a partir de 1974, foi Russão que sucedeu a Tarzan nos destinos da Gloriosa torcida alvinegra.

Porém, na rua, quem predominava era Tolito, que defendeu o Botafogo diariamente na Avenida Rio Branco durante 30 anos. A sua influência era importante e foi Tolito que, em 1968, estimulou Russão a fundar uma nova torcida organizada, a Fogo-Lito, que mais tarde foi extinta. Russão entretanto assumiu a liderança deixada por Tarzan e, mais tarde, após uma divisão na torcida, Russão fundou a Torcida Folgada, a qual chegou a ter 800 sócios de carteirinha e mensalidades pagas em dia.

Figuraça do nosso clube, Tolito falou à Revista Placar, em 1979, sobre o papel desempenhado pela sua banca na vida do Glorioso:

"Quem torce pelo Botafogo, de uma coisa está cansado de saber: aqui na minha banca não se defende o Botafogo uma vez ou outra. É uma defesa permanente, que dura enquanto a banca estiver aberta. Outra coisa: não sou torcedor de só defender meu time na arquibancada, em dia de jogo. Eu defendo o Botafogo, brigo por ele, o dia inteiro. Por isso que minha voz é rouca assim."


Texto e pesquisa de Rui Moura (blogue Mundo Botafogo)

6 comentários:

Anônimo disse...

Essa também não deu e nem vai dar na Globo:

http://www.fogaonet.com/noticia-em-destaque/botafoguense-garoto-de-4-anos-recusou-camisa-do-fla-do-pai-e-virou-mascote-no-es/

Mas imaginem se fosse o contrário...

Abs
Pablo

Marcos Paret disse...

Eu sempre ia ali falar com ele quando estava no centro.

E era engraçado, pois eu tinha 12/13 anos e ele era o único senhor de idade nos anos 70 que eu não precisava chamar de senhor - Era sempre Tolito.

Só era sério, não gostava quando alguém se apresentava como botafoguense e havia dúvida de não ser.

Foi assim a minha primeira "entrevista" com ele: perguntei sobre algo do escrete (Jair, Fischer, Nilson Dias, Carlos Roberto... parei por aqui) e ele, sisudo, olhando a minha cara de moleque tímido, largou "MAS VOCÊ É BOTAFOGUENSE MESMO OU TÁ MENTINDO?"... rsrsrsrsrs.

Aí me pediu para eu dizer o nome do goleiro do time e quando mandei "Wendell", logo desfez a cara feia.

Grande figura.


Eu não podia viajar nos jogos mas a galera tinha um point por ali, chamado Cineac Trianon (com certeza no segundo nome mas em dúvida do primeiro).

Bons tempos.

Marcos Paret disse...



Mata-me de rir... A sétima trilogia da série (só deste século).

Menguitinho....bi-vice em uma semana...

Com falha do substituto do de amarelo, aquele que a mídia tentou empurrar na seleção há exatamente um ano.

Anônimo disse...

CENA CARIOCA

Aconteceu nesta sexta-feira na ponte aérea Rio-SP. Dois banqueiros cariocas se encontram na fila para o finger em Congonhas:

- (Banqueiro 1) E aí parceiro, tá feia a coisa hein? Tem que garimpar muito...
- (Banqueiro 2) Pois é, mas felizmente seguimos conseguindo fazer uns empréstimos salvadores para o framengo, com aquela taxinha que salva...

(Gargalhadas dos dois).

Há testemunhas.

Abs
Pablo

Anônimo disse...

Uma raposa felpuda da Gávea contou para a prima da sogra do tio da cunhada do namorado do garçon do restaurante Oficina do Sabor de Olinda que na próxima semana o jurídico do SENTÃO vai propor um acordo com o jurídico do Botafogo para devolver o jogador William Arão.

Uma possibilidade é agilizar o processo e dar ganho de causa ao Botafogo na "justiça" do Rio.

Há testemunhas.

Abs
Pablo

Marcos Paret disse...

hahahaha.. Pablo - impagável (nos melhores sentidos da escrita, da zoeira e da informação).

Pablo meu prezado, só um cego.. melhor, uns... (melhor, alguns milhões) achavam que tinham feito aquele negócio.

Zé do Gol e Klayton vivem!

E olha que o cagã (ééé.. o amarelão) da vez ainda não encontrou a furiosa no Maraca.

Jesus!

Nem quero ouvir falar.