Livro sobre o Sandro Moreyra

Livro sobre o Sandro Moreyra
PRÉ-LANÇAMENTO - 22 DE AGOSTO - GENERAL SEVERIANO

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sábado, 11 de janeiro de 2014

Flamengo pode ter que abandonar Libertadores para não cair pra Segundona do Brasileirão 2014

Dando na coluna "De Prima", do Lance!

Flamengo pode ficar entre Libertadores e Série A

por Marcelo Damato em 11.jan.2014 às 12:43h
O Flamengo poderá ter de sacrificar a sua presença na Copa Libertadores para se assegurar na Série A do Campeonato Brasileiro. Ou fazer justamente o contrário.
A Conmebol, mais de uma vez exigiu que clubes abrissem mão de ações na Justiça comum, sob ameaça de perderem suas vagas na Copa Libertadores.
Um caso aconteceu na virada de 2005 para 2006. Um sócio do Internacional ganhou liminar na Justiça invalidando a anulação dos jogos apitados pelo então árbitro Edilson Pereira de Carvalho, suspeito de participar de um esquema ilegal de apostas e de manipular resultados das suas partidas. Quando o escândalo em torno dele explodiu, 11 partidas foram realizadas novamente e o Corinthians sagrou-se campeão. Se os resultados tivessem sido mantidos, o Internacional, que terminou em segundo, teria ficado com o título.
Pressionado pela Conmebol, o Internacional declarou no processo que não tinha interesse na ação e não ganhou os pontos. Disputou a Libertadores e foi campeão sul-americano e mundial, tudo em 2006.
O mesmo acontece com o Flamengo agora, com uma diferença crucial: o Flamengo precisa dos pontos ganhos na Justiça comum para permanecer na Série A. Hoje o Flamengo tem 49 pontos, a Portuguesa, 48, e o Fluminense, 46. Se o Flamengo perder os pontos da Justiça comum,  cai para 45, atrás da Fluminense. A Portuguesa, em princípio, não precisa fazer essa opção, pois não disputará a Libertadores.
Se a Conmebol pressionar o Flamengo, o Rubro-Negro poderá ter de optar entre os pontos necessários para evitar o rebaixamento e a vaga na Libertadores.
O Flamengo disse que não irá se pronunciar, a menos que receba comunicação da Conmebol.

Nenhum comentário: