Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sábado, 28 de janeiro de 2017

Chega de brincadeira. Agora é pra valer, Botafogo

Mais um resultado pífio no Carioquinha. Dessa vez contra o modesto e fraquíssimo Nova Iguaçu, que veio pra perder de pouco e fez um gol ilegal.

Bom para fazer mais algumas avaliações.

Gattito o parece que vai segurar a barra até a volta do Jefferson. Gostei do zagueiro Marcelo e do volanta Matheus Fernandes. Marcinho e Gilson são fracos.É bom pensar em outros reservas pra posição. O Igor precisa ser melhor observado, como diriam os comentaristas. Dudu parece ter se poupado (pra ser reserva). Camilo também (pra jogar ao lado de Montillo). Mas, ao contrário do Cearense, foi bem nas duas jogadas que participou com vontade. Esse menino Patchu sei não. Parece ter as pregas presas. Desculpem a grosseria. E Sassá deve estar de sacanagem. Gostei do camaronês Joel. Vai dar funk. E o Guilherme parece ser um bom reforço pro banco.

No mais: acorda, Jair Ventura!

Um comentário:

Thomas Beta disse...


Puxa... o PC trouxe à baila, nos posts anteriores, dois assuntos que eu acho que ficam muito melhor abafados...

Essa manchete, que faz alusão ao infeliz episódio em que o Carlos Alberto Torres chamou o Tostão de filho da p... e demagogo. Essa é para esquecer. E tudo porque o Tostão foi o único a ter a dignidade de criticar e recusar a vergonhosa concessão de prêmio e pensão a ex-campeões de Copa.

Essa Lei nº 12.663/2012, vou falar a verdade, me faz ter vergonha de ser brasileiro. Penso que nasci no ÚNICO país do Mundo a oficializar em Lei sua falta de espírito desportivo. Para vergonha de Pierre de Coubertin, aqui o importante não é competir, mas sim GANHAR! O engraçado é que jogadores como Gérson, Jairzinho, Bellini, Tostão, Brito, Gilmar, Pelé, Djalma Santos, Garrincha e outros, apanharam que nem gente grande na Copa de 66, mas tudo bem, já que ganharam alguma. Já para os pobres Rildo e Manga (só para citar os seus) não tem nada. Quem mandou perder?

A outra má lembrança foi esse jogo da "solidariedade", onde um jogador 'seu' deu uma caneta. Gente, o que foi aquilo? Depois de tudo o que os colombianos fizeram, isso é o que a gente oferece? E olha que SOMOS NÓS os compatriotas! Um estádio semivazio, com torcedores clubistas vaiando jogador. E os jogadores, então? Não havia o menor 'clima' de amistoso! Detestáveis o Arão, Camilo, Fágner e outros, jogando com sangue nos olhos, loucos para roubar a vaga dos titulares.

Espero estar errado, mas penso que o brasileiro não tem mesmo sentimento algum quanto ao coletivo. Só enxerga o próprio umbigo e a 'porção' que lhe interessa em tudo, mesmo quando o assunto é nacional. Solidariedade? Melhor não depender disso para sobreviver por estas bandas.

Melhoras pra gente. Abraço