Livro sobre o Sandro Moreyra

Livro sobre o Sandro Moreyra
Lançamento em breve

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Maconha ao alcance dos dedos?! Muita calma nessa hora.


Sem comentários.

I Have A What?


Meu camarada PV manda a gracinha. De buk realmente is on de teibel.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Perguntar não ofende: será que as multas são pra pagar as mordomias?



Como pode o Governo ter moral para multar os contribuintes? E isso não é de hoje e esse escândalo com dinheiro público não é o único. Mas vai você esquecer de declarar 100 reais!

Plágio é sacanagem!


Minha ex-aluna gente boa Fernanda Lizardo mandou recado avisando que um jornalista cearense plagiou um de seus belos textos. A denúncia está no blog da Cooper:
http://cooper.blig.ig.com.br/

"Todo mundo sabe que não me importo que os textos deste blog (devidamente registrados na Biblioteca Nacional) sejam reproduzidos em outros locais – contanto que seja dado o devido crédito. Muitas vezes encontrei textos não creditados, mas foi só dar um toque no dono do espaço, que ele imediatamente o fez.
Dessa vez, me deparei com uma situação inédita – e um pouco chocante também...

Eis que um jornalista do Ceará, chamado Marcos Peixoto, gostou tanto de um texto daqui que resolveu reproduzi-lo. Ou quase. Além de não dar o credito, ainda mudou algumas palavras para disfarçar o plágio descarado. Talvez ele conheça bem o termo “plágio”; mas, pelo visto, desconhece o termo “contrafação”, que caracteriza a modificação de um trabalho na tentativa de ocultar seu verdadeiro autor.

Em situações normais eu não o exporia assim, porém, como jornalista – e responsável por liberações de direitos autorais, diga-se de passagem –, sinto-me profundamente ofendida por perceber que um "colega" não honra os ensinamentos da boa prática da nossa profissão.

(Interessante que no site dele consta NewsCariri by Marcos Peixoto - 2007 © Direitos Reservados)".

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

O que é Roberto Jefferson?


Deu no Globo. É impressionante como esse dedo-duro continua debochando do governo, da Justiça e, principalmente, do Povo. Cadê a Receita Federal que não aparece para informar qual a origem e o destino dos 4 milhões que ele declarou ter recebido para fazer sei lá o quê? Vai você esquecer de declarar 100 reais pra ver o que o Governo faz.

Chega de palhaçada! Por um Brasil mais sério.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Leo Moura e seu cabelinho mal cortado


Convocaram o Leonardo Moura. Apesar de hoje jogar no Flamengo, acho merecido. Principalmente porque pode representar a sua possível volta para um clube europeu. Leo, que é cria do Glorioso, já jogou na Europa. Na Holanda, se não em engano.

Mas bem que ele podia cortar aquele cabelinho horroroso e fora de moda. Lembro até uma historinha que meu camarada e professor Célio Campos costuma contar. Célio diz que um professor amigo dele conseguiu se aproximar do Papa, numa visita ao Vaticano. O cara se ajoelhou, rezou, se benzeu e o Papa nada disse. Antes de sair, meio desolado, perguntou, em italiano correto, ao "sumo pontífice": "Poxa, seu Papa: o senhor não me diz nada?".

E o Papa:

"Digo sim,meu filho. Cabelinho mal cortado o seu."

Frescura na comemoração de gols


Sou do tempo em que jogador comemorava gol sem fazer palhaçada. Pelé, o segundo maior de todos (o primeiro é Garrincha), por exemplo. O "Negão", todos lembram, comemorava os gols dando socos no ar. Jairzinho, na Copa de 70, comemorou dando uma ajoelhada e fazendo o sinal da cruz. Saiu bem na foto também.

Hoje em dia é uma "papagaiada" só! Ontem mesmo os jogadores do Flamengo comemoraram os gols que fizeram contra o adversário dançando "funk" ou coisa parecida. E ainda por cima fazendo "trenzinho", o que parece coisa de Richarlyson do São Paulo. É muita breguice. E feio. Homem dançando é muito feio. Se ainda fosse no futebol feminino!

O título ROUBADO (mais um) do Fluminense


Torcedores de um modo geral têm memória curta. Os do Fluminense em especial. Eles esquecem, por exemplo, que o Fluminense saiu da Terceira Divisão para a Primeira do Campeonato Brasileiro sem passar pela SEGUNDA. Parece que com o apoio do Eurico Miranda. Ou foi naquela outra vez em que o Fluminense esteve na Segundona que o Eurico ajudou o clube? Esquecem também o gol do Wilton com a mão e o gol do Marco Antonio empurrando o goleiro do Botafogo validado pelo Marçal Filho. Inventam mil desculpas, claro.

Mas só para dar uma refrescada: o goleiro Eduardo, que o Glorioso acaba de contratar, é aquele mesmo que, à época no Bangu, fez um gol legítimo contra o Fluminense em 2002, anulado pelo juiz. O Flu, como costuma acontecer nessas ocasiões, foi o campeão. O Bangu tirou o time de campo e a coisa foi pra Justiça. Pelo jeito, não deu em nada. Como sempre acontece também. Quem quiser saber detalhes, é só entrar no site do GloboEsporte:
http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/0,,MUL265743-4274,00.html

Eis um pedacinho da notícia sobre a roubalheira a favor do Flu:

Porém, uma confusão na semifinal contra o Bangu, no dia 16 de junho, fez o campeonato parar na Justiça. O jogo terminou 0 a 0, e o placar classificou o Tricolor para a final contra o Americano. Mas o juiz Reinaldo Ribas anulou de forma errada um gol do Bangu no último minuto da prorrogação, marcado pelo goleiro Eduardo. O árbitro alegou que o jogador desviou a bola para o gol com a mão, o que não aconteceu.

Classificado para a final, o Fluminense venceu o Americano na decisão. Mas a diretoria do Bangu resolveu, então, entrar na Justiça por causa do erro do árbitro pedindo a anulação do campeonato. Mais de cinco anos depois, o caso ainda não foi julgado.

domingo, 27 de janeiro de 2008

O nome dele é Junior, mas podem chamá-lo de Pirão

E o Junior do Americano que prefere ser chamado de PIRÃO? Quem contou foi um repórter da TV Globo, que, infelizmente, não lembro o nome agora. Botafogo, cada vez mais líder e caminhando pro título, se os árbitros não atrapalharem, ganhava de 3 a 0do Americano de Campos, que fez uma substituição no final do jogo. O repórter contou que alguém do clube sugeriu que Pirão trocasse o apelido por Junior, mas o rapaz disse que preferia ser chamado de Pirão. Conclusâo: passou o resto do jogo sendo chamado de Junior Pirão. Menos mal.

Jango foi assassinado pela Ditadura Militar? - 3 (Box 2)



Fleury deu a ordem final, diz ex-agente
Barreiro afirma que comprimidos foram colocados na fazenda, no carro e no hotel

Jango "era desorganizado. Abria um frasco, tomava alguns, na fazenda abria outro... E colocávamos um remédio em cada frasco"

DA AGÊNCIA FOLHA, EM PORTO ALEGRE

Neste trecho da entrevista, Mario Neira Barreiro conta como João Goulart teria sido envenenado. (SIMONE IGLESIAS)

FOLHA - Como foi decidido que Jango deveria ser morto?
BARREIRO - O que levou à morte foram interpretações erradas, exageradas do que ele falava. Fleury foi quem deu a palavra final. Em uma reunião no Uruguai, disse que Jango era um conspirador e que falaria com Geisel para dar um ponto final no assunto. Depois, em outra reunião no Uruguai, disse -não para mim, mas para um major e um general- que tinha conversado com Geisel dizendo que Jango estava complicando e que ele sabia o que deveria ser feito. E ele [Geisel] disse: "Faça e não me diga mais nada sobre Goulart". A morte não foi decidida pelo governo uruguaio, mas pelo governo do Brasil, influenciado pela CIA. FOLHA -
Qual foi o papel da CIA?
BARREIRO - A CIA pagou fortunas para saber o que Jango falava e foi responsável por muita coisa, mas não quero falar sobre isso porque tenho medo.

FOLHA - Como Jango foi morto?
BARREIRO - Foi morto como resultado de uma troca proposital de medicamentos. Ele tomava Isordil, Adelfan e Nifodin, que eram para o coração. Havia um médico-legista que se chamava Carlos Milles. Ele era médico e capitão do serviço secreto. O primeiro ingrediente químico veio da CIA e foi testado com cachorros e doentes terminais. O doutor deu os remédios e eles morreram. Ele desidratava os compostos, tinha cloreto de potássio. Não posso dizer a fórmula química, porque não sei. Ele colocava dentro de um comprimido.

FOLHA - Como as cápsulas eram colocadas nos remédios de Jango?
BARREIRO - Ele era desorganizado. Abria um frasco, tomava alguns, na fazenda abria outro. Tinha sete, oito frascos abertos. E colocávamos [referência ao grupo que monitorava Jango] um remédio em cada frasco. Colocamos os comprimidos em vários lugares: no escritório na fazenda, no porta-luvas do carro e no Hotel Liberty.

FOLHA - O sr. concordava com a operação para matá-lo?
BARREIRO - Era contrário, mas era um simples serviçal. Passei a simpatizar com ele. Goulart era um homem bom. Mas se tivessem me pedido para eliminar Brizola, eu mataria: ele era um conspirador nato.

Jango foi assassinado pela Ditadura Militar? - 2 (Box)


Está na Folha de S. Paulo de hoje. Ver post abaixo.

Oficiais não têm condição de responder
DA AGÊNCIA FOLHA, EM PORTO ALEGRE

Durante a semana passada, a Folha tentou, sem sucesso, falar com pessoas que pudessem esclarecer as afirmações feitas pelo ex-agente do serviço de inteligência do governo uruguaio Mario Barreiro.
O Exército brasileiro informou que não há hoje ninguém na ativa com condição de responder ou até rejeitar acusações. O mesmo foi dito pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, questionada se houve participação da CIA na suposta operação para matar o presidente João Goulart, em 1976. Segundo a assessoria da embaixada, todos os funcionários que trabalharam por lá nos anos 70, no Brasil, já deixaram o país.
À Embaixada do Uruguai foram enviadas por e-mail perguntas sobre a eventual participação do governo daquele país. A assessoria disse que, se houver interesse do governo em responder, vai entrar em contato após a publicação da reportagem.
A Folha tentou entrevistar o delegado Paulo Sérgio Fleury, filho de Sérgio Paranhos Fleury, apontado por Barreiro como um dos envolvidos na suposta trama para a morte de Jango. A reportagem telefonou para os seus dois números de celular e deixou recado, mas ele não ligou de volta.
Humberto Esmeraldo Barreto, que foi assessor do presidente Ernesto Geisel (1908-1996) e seu amigo, foi procurado. A reportagem ligou durante toda a sexta para a sua casa, mas ele não atendeu.

Jango foi assassinado pela Ditadura Militar?


Está na Folha de S. Paulo de hoje. E pelo que diz o assassino do Fleury estava envolvido. Faz sentido.

Goulart foi morto a pedido do Brasil, diz ex-agente uruguaio
Jango morreu envenenado, afirma Mario Neira Barreiro

Sérgio Fleury teria dado a ordem para o assassinato

Presidente deposto teria dito aos agentes que sabia da espionagem: "Sei que estão me vigiando, mas não sou inimigo de vocês"

SIMONE IGLESIAS
DA AGÊNCIA FOLHA, EM PORTO ALEGRE


Preso desde 2003 na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (RS), o ex-agente do serviço de inteligência do governo uruguaio Mario Neira Barreiro, 54, disse em entrevista exclusiva à Folha que espionou durante quatro anos o presidente João Goulart (1918-1976), o Jango, e que ele foi morto por envenenamento a pedido do governo brasileiro.

Jango morreu em 6 de dezembro de 1976, na Argentina, oficialmente de ataque cardíaco. Ele governou o Brasil de 1961 até ser deposto por um golpe militar em 31 de março de 1964, quando foi para o exílio. À Folha Barreiro deu detalhes da operação da qual participou e que teria causado a morte de Jango. Segundo o ex-agente, Jango não morreu de ataque cardíaco, mas envenenado, após ter sido vigiado 24 horas por dia de 1973 a 1976.

Barreiro disse que Sérgio Paranhos Fleury (que morreu em 1979), à época delegado do Dops (Departamento de Ordem Política e Social) de São Paulo, era a ligação entre a inteligência uruguaia e o governo brasileiro. A ordem para que Jango fosse morto partiu de Fleury, em reunião no Uruguai com dois comandantes que chefiavam a "equipe Centauro" -grupo integrado por Barreiro que monitorava Jango. O Uruguai mantinha uma outra equipe de vigilância, a Antares, para monitorar Leonel Brizola.

As escutas, feitas e transcritas por Barreiro, teriam servido de motivo para matar Jango. Mas, segundo o ex-agente (que tinha o codinome de tenente Tamúz), o conteúdo das conversas não era grave: tratavam da vontade de Jango de voltar ao Brasil, de críticas ao regime militar e de assuntos domésticos. Barreiro afirmou que interpretações "erradas e exageradas" do governo brasileiro levaram ao assassinato.

Segundo o uruguaio, a autorização para que isso ocorresse partiu do então presidente Ernesto Geisel (1908-1996) e foi transmitida a Fleury, que acertou com o serviço de inteligência do Uruguai os detalhes da operação, chamada Escorpião -que teria sido acompanhada e financiada pela CIA (agência de inteligência americana).

O plano consistia em pôr comprimidos envenenados nos frascos dos medicamentos que Jango tomava para o coração: o efeito seria semelhante a um ataque cardíaco. As cápsulas envenenadas eram misturadas aos remédios no Hotel Liberty, em Buenos Aires, onde morava a família de Jango, na fazenda de Maldonado e no porta-luvas de seu carro. Barreiro não exibiu provas e disse que o caso era discutido pessoalmente.

FOLHA - Qual era o interesse do Uruguai em vigiar Jango?
MARIO NEIRA BARREIRO - Após o golpe no Brasil, o serviço de inteligência do governo do Uruguai se viu obrigado a cooperar porque era totalmente dependente do Brasil. Goulart, para nós, era uma pessoa que não tinha nenhuma importância.

FOLHA - Quando passou a vigiá-lo?
BARREIRO - Eu o monitorei de meados de 1973 até sua morte, em 6 de dezembro de 1976. Monitorei tudo o que falava através do telefone, de escuta ambiental e em lugares públicos.

FOLHA - O sr. colocou microfones na casa? Como ouvia as conversas?
BARREIRO - Estive na fazenda de Maldonado para colocar uma estação repetidora que captava sinais dos microfones de dentro da casa e retransmitia para nós. Esta estação repetidora foi colocada numa caixa de força que havia na fazenda. Aproveitamos essa fonte de energia para alimentar os aparelhos eletrônicos e para ampliar as escutas. Isso possibilitava que ouvíssemos as conversas a 10, 12 km de distância. Ficávamos no hipódromo de Maldonado ouvindo o que Jango falava.

FOLHA - Alguma vez falou com ele?
BARREIRO - Sim. Eu e um colega estávamos vigiando a fazenda, fingindo que um pneu da camionete estava furado. Ele nos viu e veio até nós caminhando e fumando. Perguntou se precisávamos de ajuda. Estava frio e ele nos convidou para tomar um café. Eu pensei: "Ou ele é muito burro ou muito bom". Ele me convidou para entrar na fazenda. Meu colega não quis ir.
Depois que fiz um lanche e tomei o café, eu disse: "Desculpa, senhor, qual é o seu nome?". Ele me olhou e disse: "Mas como, rapaz, tu não sabes quem sou eu? Tu estás me vigiando. Acha que sou bobo? Fui presidente do Brasil porque sou burro? Estou te convidando para minha fazenda porque não tenho nada a esconder. Sei que estão me vigiando, mas não sou inimigo de vocês". Eu disse que ele estava enganado, me fiz de bobo, mas ele era inteligente.

sábado, 26 de janeiro de 2008

Abre o olho dona Marisa!


E a foto do Lula e do Sérgio Cabral Filho (Sérgio Cabral de verdade, pra mim, é o pai) no Globo de hoje?

Divulgando o blog


Mandei fazer uma camisinha, digo, camisa, com a "cabecinha" (epa, epa, epa; muita calma nessa hora) pra divulgar o blog. Acho que ficou supimpa. Em breve vou fazer outra e dar (no bom sentido) de presente pra alguém especial.

O Extra pensa que café é água, café não é água não



O pessoal da editoria de Esportes do jornal Extra pagou mico ontem. Na legenda da foto está escrito que "Jorge Henrique pega um café da mão de Abedi...". Quem foi que disse que é café? É água. Mesmo porque, acho que se fosse café não seria recomendável num treino. Começo a desconfiar da origem do dopping do "traíra" Dodô. Foi culpa do jornal Extra. Depois dizem que botafoguense tem mania de perseguição (rs).

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Teresópolis, Terra do Barulho

Teresópolis é uma cidade feia e mal tratada pelos políticos. Está sendo desmatada, favelizada e tem um péssimo sistema de transportes. O tráfego de ônibus é muito mal administrado. Os ônibus vão para lugares próximos sempre na mesma hora. Chato também é a barulheira de carros e motos, inclusive de madrugada. Quanto menor a cilindrada da moto, quanto mais velho o carro, mais barulho fazem.
Acho que tô ficando velho.

Como diria Mário Vianna (com dois enes): "Banheiraaaaa!!!!"

Um time grande foi beneficiado pela arbitragem com um pênalti marcado em jogada de impedimento e um gol em impedimento. Advinhem qual foi. Depois reclamam quando os botafoguenses reclamam dos juízes. Será que vão ganhar roubado de novo?

Vá fazer ploc na casa do c#*+?/>%

Estou numa lanhouse. Ao meu lado, a mala de uma garota fica explodindo chiclete nos meus ouvidos com aquele maldito ploc. Acho que tô ficando velho.

Blog do pc recomenda: show da banda CalangosGroove na Lapa


Meu camarada Marcelo Bório tem uma banda. É gente boa, apesar de tricolor. E toca pra cacete.

A banda é a CalangosGroove e vai tocar amanhã, sábado, no Café Cultural Lapa, convidada da Banda Passarela 10. O Bório é o de camisa cinza (terceiro da esq. para a dir.), cheio de mãos masculinas em volta.

Café Cultural Lapa: Rua Gomes Freire, 205 - sobreloja
A partir das 21h !

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Cadê a cerveja que estava aqui?


E não é que os caras ainda sumiram com as cervejas! E depois bota essa gente nas ruas para fazer blitzen! Sem comentários.

Ana Paula Oliveira não toma jeito


E aquela ex-bandeirinha peladona, que prejudicou o Botafogo, e até hoje não assumiu o erro? É uma irresponsável. Depois de ter sido afastada do futebol por incompetência, agora foi afastada do samba. Mas algum talento ela tem. As fotos mostram. Embora falte classe.


Ana Paula de Oliveira é cortada do Salgueiro
Assessoria da escola divulga que bandeirinha não desfilará mais

Ana Paula é corta de escola de samba (Crédito: Gilvan de Souza)
LANCEPRESS!

Depois de ser banida do futebol profissional pelas lambaças na arbitragem, Ana Paula de Oliveira também foi cortada do samba. A Acadêmicos do Salgueiro, escola do grupo especial do Rio de Janeiro, divulgou, através de sua assessoria que a bandeirinha não vai desfilar pela agremiação.

No enredo deste ano, o Salgueiro vai homenagear a cidade do Rio de Janeiro, com o intuito de resgatar a auto-estima do povo carioca. Com isso, pontos turísticos com o Maracanã, Lapa e Pão de Açúcar, obviamente, estão entre as principais alegorias. Ana Paula sairia justamente no carro alegórico daquele que foi o maior estádio do mundo. Porém, as faltas constantes nos ensaios da escola determinaram o corte da assistente de arbitragem.

Romário seria demitido?

Que o Vasco de Eurico Miranda não é um clube sério, todos sabem. Mas tenho uma dúvida: e se o Vasco tivesse perdido de novo ontem? Quem seria demitido? Romário ou o Alfredo?

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Datablogdopc informa: Botafogo favorito no Cariocão 2008

O povo não se engana. O Botafogo continua favorito aqui no blog pra vencer o Cariocão 2008. São 35 votos pro Botafogo contra 22 pro Flamengo, 11 pro Vasco e apenas 4 pro time de menor torcida e que saiu da terceira divisão do Brasileiro pra primeira sem passar pela segunda. Ou esquecem isso? 2 torcedores preferiram o NRA. O que será o NRA? O América? O Madura? O Cardoso Moreira? A votação continua. Que nem no BBB. Continuem votando.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Isso é que dá ficar na Internet em vez de trabalhar


Será que o buraco é algum tipo de "pardal" inventado pelo governo da Indústria da Multa para arrecadar um pouco mais?
Vá trabalhar, Cesar Maia. Esqueça o ex-blog.

Foto: Custódio Coimbra, o primo do Zico (O Globo)

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Quem com roubo fere com roubo foi ferido

Primeira rodada do Carioca e já "garfaram" o Botafogo. O juiz deixou de dar um pênalti e uma falta clara na entrada da área no final do jogo. Na dúvida é sempre contra o Botafogo. Isso acontece sempre. A novidade é que o Vasco também foi roubado. E em São Janu, onde nos anos 70 e 80 sempre era beneficiado. Quem acompanha futebol, lembra dos pênaltis cobrados pelo Bob Dinamite nos finais dos jogos. Só quem não foi prejudicado, como sempre, foi a dupla Fla Flu. Os dois são sempre beneficiados. O Lancenet acaba de publicar matéria informando que os árbitros dos jogos do Glorioso e do vasco foram afastados.

Dois árbitros são suspensos do Carioca
Willian Nery e Adriano Pereira Machado só poderão voltar a apitar na quinta rodada
LANCEPRESS!

O presidente da Comissão de Arbitragem do Rio de Janeiro, Jorge Rabello, confirmou nesta segunda-feira a suspensão de dois árbitros logo após a primeira rodada do Campeonto Carioca: Willian Nery, que apitou Vasco e Madureira, em São Januário, e, Adriano Pereira Machado, que apitou Botafogo e Resende, no Engenhão.

- Não vamos passar a mão na cabeça deles. Não cumpriu as medidas, faremos uma reciclagem e só voltarão quando estiverem preperados. Eles serão chamados, faremos palestras, mostraremos vídeos com os erros e vamos questioná-los porque na prática não executam aquilo que foi trabalhado durante a pré-temporada - afirmou Rabello à Rádio Brasil.

Os árbitros voltarão a apitar no Carioca a partir da quinta rodada.

Eu não sou tarado não!

Estou numa lanhouse. Cliquei googleanalytics e fui censurado. A máquina bloqueou e apareceu uma mensagem de "conteúdo impróprio" ou coisa parecida. E tudo por causa do "anal" de analytics. Ainda bem que ninguém viu. Vai que alguém pensa que sou tarado!

Elio Gaspari e a repressão aos motoqueiros

As autoridades estão generalizando e transformando motoqueiros e motociclistas (há uma diferença) em "bandidos". Não pode isso, não pode aquilo. Já pensaram até em proibir garupas em motocicletas. Essa gente só sabe arrecadar com a Indústria da Multa e é incapaz de encontrar uma saída inteligente e criativa. Elio Gaspari, um dos maiores jornalistas do Brasil, escreveu ontem um belo artigo sobre o tema. Saiu na Folha e no Globo.

A demofobia quer punir os motoqueiros
Elio Gaspari

No Rio, uma Suzuki de 125 cilindradas não teria direito a garupa; companhia, só com a de R$ 19.490

SURGIU UMA nova forma de demofobia nas grandes cidades, a repressão aos motoqueiros. No Rio, o governador Sérgio Cabral gostaria de proibir que levassem gente na garupa. Em São Paulo, muitos vereadores querem a mesma coisa, articulando a derrubada de um veto de 2004 da prefeita Marta Suplicy. A defesa dessa providência tem uma atraente base estatística pois, segundo a polícia paulista, de cada 10 roubos que ocorrem na cidade, 6 envolvem motoqueiros. Seriam pouco mais de 9.000.
Há 600 mil motos em São Paulo. Penalizar o motoqueiro que não assalta os outros, proibindo que usufrua o conforto de um veículo pelo qual pagou, é pura demofobia. Admitindo-se que cada moto-bandida seja usada em apenas dois roubos num ano, a relação das garupas paulistanas com a delinqüência fica em 1,4%. É um índice inferior ao dos ministros de Lula que foram indiciados em processos criminais (10%).
Percebe-se melhor o viés social da idéia sabendo-se que um deputado fluminense (Pedro Fernandes - DEM) apresentou um projeto (1.178/07) proibindo que as motos com menos de 500 cilindradas carreguem gente na garupa. Assim, quem compra uma Suzuki de 125 cilindradas (R$ 5.300) não tem direito a garupa. Se quiser companhia, deve levar o modelo GS500E, de R$ 19.490.
Em vez de olhar para os motoqueiros de baixa cilindrada como se fossem um estorvo, as cidades ficarão melhores se o poder público lhes der mais atenção. Toda vez que se pensa em motoqueiro surge a idéia de proibi-lo de fazer isso ou aquilo. Mesmo os motoboys, que não carregam ninguém na garupa, são tratados como condutores de veículos de segunda categoria, intrometidos. Eles são mais de 1 milhão de brasileiros que ralam entregando papéis, pizzas e encomendas. Faturam entre de R$ 500 e R$ 800 por mês, muitas vezes sem direito a nada. Figuras diabólicas, freqüentemente malcriadas, movem-se em ziguezague e danificam os espelhos do carros. Mesmo assim, asseguram pizzas quentes, bem como a produtividade de empresas que precisam de transporte rápido. Em São Paulo, morre um motoboy por dia, quase sempre sem seguro de vida.
O motoqueiro não é problema, é solução. Problemas são os engarrafamentos e a má qualidade do transporte público.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Flu na preliminar

Enquanto o Fluzinho dos traíras Dodô e Leandro Amaral faz o jogo preliminar no Maracanã (o Fluminense, como todos sabem, não tem estádio), estoou concentrado para assistir ao jogo principal daqui a pouco no Engenhão, o mais moderno estádio das Américas.

Leitor sacaneia políticos

Bela gozada que um leitor mineiro deu nos políticos em carta publicada hoje na Folha de S. Paulo. Eles merecem.

Oito por cento
"Sou assinante da Folha e observei que na página A12 (Mundo) da edição de ontem havia o seguinte texto: "No mundo todo, só 8% crêem nos políticos".
Será que estes 8% não são os próprios políticos?"

OG TAVARES (Paraguaçu, MG)

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Revista põe Botafogo entre os mais azarados. Pior que é verdade!

Revista põe Botafogo entre os mais azarados
'El Gráfico', da Argentina, classifica o clube em sexto no ranking de falta de sorte

A revista argentina 'El Gráfico' publicou uma reportagem na edição de dezembro colocando o Botafogo na lista dos 13 clubes mais azarados do futebol mundial. O Alvinegro, famoso pela frase "há coisas que só acontecem com o Botafogo", só perde para Torino (ITA), Racing (ARG), Genoa (ITA), Atlas (MEX) e Feyenoord (HOL).

A reportagem destaca que o Botafogo foi o 12º na lista dos maiores clubes do século divulgada pela Fifa, foi base da Seleção Brasileira por muitos anos, teve craques como Garrincha e Nilton Santos mas "jamais conseguiu traduzir seu reinado em nível local, perdeu seu estádio por falta de pagamento e quando o recuperou a sede havia sido demolida".

O texto ainda lembra que o clube amargou um jejum de 31 anos sem títulos, quando na verdade foram 21 (entre os Campeonatos Cariocas de 1968 e 89) e lembram da traumática derrota para o River Plate, por 4 a 2, pela Sul-Americana-2007: "A incrível eliminação foi só mais uma de uma série feitos azarados, que incluem o rebaixamento em 2002".

Fonte: LANCEPRESS

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Será que o ACM saiu das profundezas pra baixar nas eleições americanas?



Eles se parecem. Não apenas fisicamente. E pertencem (ou pertenciam) ao mesmo tipo de partido. O Partido Republicano, de George W. Bush e de Mc Cain, é uma espécie de DEM do ACM (ex-PDS, ex-PFL, ex-Arena; partidos que tiveram origem na ditadura militar).

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

All fitness em português quer dizer Total fitness?

Esqueci de comentar: domingo, "zapeando" na tv, acho que ouvi o Fernando Vannucci anunciar um produto chamado All fitness que, disse ele, se chama Total fitness em português. E ele ainda pronunciou "tôtal" com ênfase no o. É isso mesmo ou ouvi errado?

Laptop ou cartão?



E ess laptop que o Steve Jobs, da Apple, acaba de lançar? Chama-se MacBook Air, tem 4mm na parte mais fina e pesa 1,3 kg. E, pra variar, como todos os produtos da Apple, é bonito pra dedéu. Ah se eu tivesse "dindin"!

domingo, 13 de janeiro de 2008

Bobeou, o blog pimba!

É por isso que eu não gosto de ver televisão! Estava "zapeando" ontem na telinha e parei num programa que o cara fica falando da vida de artistas e dos integrantes do Big Brother. No crédito de uma matéria eu juro que li: "Bobiou (...)". Não li mais nada e peguei um livro.

Que sina!

E o Vasquinho, hein!? Vice de novo. Até na terra das mil e uma noites.

Chávez e a imprensa refém, por Gilson Caroni

Meu amigo de longa data, professor, sociólogo e ativista político Gilson Caroni pega pesado em suas críticas aos anti-esquerdistas que nascem que nem erva daninha. O artigo abaixo acaba de ser publicado no "Carta Maior". Os que gostam de reis e rainhas que vivem de mordomias e mandam representantes do povo calar a boca não vão gostar.

Chávez e a imprensa refém

O irrefreável desejo de ridicularizar a operação internacional, montada pelo presidente venezuelano, para obter a libertação de reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) marcou o viés político presente em editoriais e notícias de quase todos os grandes jornais brasileiros.

Gilson Caroni Filho

O “mico" é um dos jogos infantis mais conhecidos. Recortado o baralho e distribuídas as cartas, vence quem completar seus pares e não ficar com o simpático macaquinho, o único solteiro do jogo. É uma brincadeira simples e agradável que, respeitadas as especificidades, pode ser aplicada à análise da cobertura jornalística em determinadas circunstâncias. Em alguns casos, como nas recentes negociações entre Chávez e a guerrilha colombiana, é legítimo indagar: quem ficou com o mico?

O irrefreável desejo de ridicularizar a operação internacional, montada pelo presidente venezuelano, para obter a libertação de reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) marcou o viés político presente em editoriais e notícias de quase todos os grandes jornais brasileiros. Podemos falar em torcida pelo fracasso, sem incorrer em exagero. Basta passar os olhos sobre o que escreveram conhecidos articulistas e donos de colunas.

Quando, no último dia de 2007, Hugo Chávez leu, na rede de televisão estatal venezuelana, um comunicado da guerrilha alegando que a intensa atividade do exército colombiano na região impediu que a operação se efetivasse, as oficinas de consenso festejaram mais uma " profecia que se auto-realizava".

Em ritmo frenético, muito se discorreu sobre "a farsa montada às vésperas do Natal para enganar a opinião pública mundial”. Os "narcoterroristas", enfim, admitiam ter mentido sobre o refém Emmanuel, filho de Clara Rojas, uma das 750 pessoas mantidas em cativeiro na Amazônia Colombiana. Com esse reconhecimento duas coisas ficavam patentes: a justeza da intransigência de Uribe e o " fato de Chávez não ter envergadura política, moral e psicológica para tomar para si o papel de negociador". Melhor, impossível, senhores editores. O mico estava com o líder bolivariano.

Estamos diante de algo que vai além de preferências pessoais. A produção jornalística só pode ser compreendida como lugar e objeto de articulações hegemônicas, espaço de representações simbólicas. A motivação da imprensa deitava raízes na desconstrução de lideranças latino-americanas e os significados de seus êxitos e fracassos. Havia dois reféns: Chávez e Uribe. O sucesso de um deles significaria o cativeiro político do outro. E cremos ser ocioso dizer por quem dobram os sinos da velha mídia.

A libertação de Consuelo Gonzáles de Perdomo e Clara Rojas provocou um terremoto no campo jornalístico. Não foi apenas a imagem de Álvaro Uribe que saiu enfraquecida no cenário internacional, mas toda uma estrutura narrativa. O êxito da segunda tentativa de libertação remete a questões que ultrapassam o fato em si.

Como destaca o professor Gilberto Dupas, coordenador-geral do Grupo de Conjuntura Internacional da USP e Presidente do Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais, “estamos falando de imagem com relação à América Latina, talvez. Em linhas gerais, eu diria que Uribe dá sinais de fraqueza. E, portanto, pode ser que isso apresse uma coisa positiva, que é uma aproximação do Uribe - e portanto da Colômbia - com uma aliança sul-americana, o que seria altamente desejável. Esse é um aspecto regional que tem peso. Por outro lado, você pode ver que os Estados Unidos estão muito quietos nessa história, não sabem bem como se posicionar, porque se ficar o bicho come, se correr o bicho pega" Com quem está o mico?

Sentencioso, o editorial da Folha de S.Paulo (12/01) insiste na tecla batida de forma orquestrada: "A libertação de Clara Rojas e Consuelo González tornara-se imperiosa para as Farc depois que se descobriu a farsa do menino Emmanuel - o filho de Rojas que a guerrilha colombiana prometera libertar, mas que não estava no cativeiro. Era a única maneira de amenizar um pouco a desmoralização dos seqüestradores flagrados na mentira, que respingou no patrocinador político da operação, o presidente Hugo Chávez". Melancólico, se espera mais de um editor. Que, ao menos, sofisme com mais requinte.

O desmentido cabal está na matéria de capa do diário argentino Página 12. Nela, Consuelo Gonzáles relata com precisão:

"No dia 21 de dezembro começamos a caminhar até o lugar onde iriam nos libertar, caminhamos quase 20 dias. Neste período, tivemos que correr várias vezes porque os militares estavam muito próximos, relatou. González inclusive denunciou que no dia em que Alvaro Uribe deu por suspensa a entrega, as Forças Armadas colombianas lançaram o pior ataque à zona em que se encontravam. "No dia 31 soubemos que iria ocorrer uma mobilização muito grande e no momento em que estávamos para sair, houve um bombardeio muito forte e nós tivemos que nos deslocar rapidamente para outra área".

Em outras palavras, a ex-refém confirma o que disseram Chávez e o comunicado das Farc. É fácil saber quem ficou com o mico. Com uma imprensa que, para cumprir o papel de porta-voz das oligarquias, ignora os próprios pressupostos que lhe conferem sentido.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Botafogo na frente

O Instituto PC Guima comprova. Estamos na frente, com 48% dos votos (13 quer dizer 13 milhões). O Botafogo é o time mais indicado pra ganhar o campeonato carioca de 2008. Isso se não pintar Djalma Bertrami e Hilton Moutinho pra inventar impedimentos e expulsar nossos jogadores. O Vasco, pra variar, é vice, do Flamengo. O Fluzinho, que tem pouca torcida, tem apenas 1 voto.

Que beijinho doce! Ou melhor, salgado


Tadinho do emir do Kuait, xeque Sabah al-Ahmad Al-Sabah, vai pegar "sapinho". Ou coisa pior.

Fonte: UOL

Febeapá 2008 - Outra da INDÚSTRIA DA MULTA


Se eu não estava sonhando (ou tendo um pesadelo?) vi ontem no Jornal Nacional que na Bahia estão multando até ambulâncias, bombeiros e carros de polícia. E as autoridades (sic) públicas ainda acham que estão certas. Até quando o povo vai agüentar essa picaretagem?

Volta Stanislaw Ponte Preta!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Será que é barriga? Chávez anuncia que Farc já libertaram reféns


Tá dando no UOL:

10/01/2008 - 14h10
Chávez anuncia que Farc já libertaram reféns

Caracas, 10 jan (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse hoje que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) já entregaram em uma região selvática colombiana as duas seqüestradas que tinham prometido libertar, e que falou com elas.

Esses políticos são muito espertos! Arthur Virgílio é um deles

É muita cara-de-pau desse Arthur Virgílio! Vejam a carta de um leitor publicada na Folha de S. Paulo de hoje. Pior é que o PT fazia o mesmo. Esses políticos só pensam em se dar bem. O país que se dane!

CPMF
"A incoerência dos políticos brasileiros, de todos os partidos, assusta. Em abril de 2002, o senador tucano Arthur Virgílio Neto declarava: "O atraso na aprovação da emenda que prorroga a CPMF abre buraco inaceitável nas contas públicas brasileiras. E, portanto, não havia mais do que três hipóteses para sanar o problema: aumentar alíquotas, cortar investimentos ou combinar os dois amargos remédios. Daí a opção pelo aumento das alíquotas do IOF, que talvez por si só não seja suficiente para cobrir o inteiro do déficit. Pessoalmente não considero a CPMF o imposto ideal. Afinal ele se dá em cascata, apesar de, no seu aspecto positivo, tributar também pessoas e atividades informais -e até ilícitas. Afirmo, com toda convicção, que o mais nocivo de tudo, todavia, é o rombo de R$ 400 milhões que cada semana de adiamento da aprovação da CPMF acarreta para as contas públicas".
E conclui: "Governar, muitas vezes, é escolher entre o desagradável e o desastroso".
Pergunto: quem foi mesmo que declarou "esqueçam o que eu disse ou escrevi"?
Se garimparmos declarações de petistas quando eram oposição, encontraremos incoerências semelhantes."
GABRIEL G. COTTINI (Juiz de Fora, MG)

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

O dia em que Zeca Pagodinho perdeu o pedaço de um dedo


Está lá no blog do meu camarada Lucas, o "Matéria de Gaveta" (http://materiadegaveta.com/)
Mas é tão bom que reproduzo aqui. É de morrer de rir. Esse Pagodinho é do balacobaco. Tinha que ser botafoguense!

Picasso nas mãos!


E não é que a Polícia recuperou as obras roubadas do MASP! Te cuida Scotchland Yard!

"Felipão" dá soco em repórter na televisão


Está no youtube e o Jacaré Banguela publicou. É meio bobinho, mas vale uma espiadinha.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Febeapá 2008 - Estadão diz que China quer entrar no mercado aviário para construir aviões


SEMPRE ATENTO que nem escoteiro, meu camarada PV acaba de enviar a pérola. É só clicar com a mãozinha que dá pra ler com nitidez esse novo empreendimento dos chineses.

Juvenal Antena na estréia do Botafogo no Carioca 2008


Pensei, fui pesquisar e constatei que meu camarada jornalista botafoguense Roberto Porto, o Robertão, ex-colega de O Globo, teve idéia parecida. Está lá no blog dele:
http://portoroberto.blog.uol.com.br/
JUVENAL ANTENA, personagem de Antonio Fagundes, na novela "Duas Caras", que eu, claro, não assisto (hehe!), é botafoguense. Dos bons. Outro dia, passava por acaso na sala e vi que o Foguinho, digo o Evilásio, personagem de Lázaro Ramos, disse que tem coisas que "só acontecem com o Juvenal e com o BOTAFOGO". Pô, meu! O Botafogo está sendo divulgado na novela em todo o Brasil e o clube faz o quê? Li que no início mandou um kit de produtos do clube para a direção da novela. Mas é pouco.

Se fosse o Flamengo, especialista em jogadas de marketing para divulgar os fracos times que teve ao longo da história, ganhando muitos de seus títulos com a ajuda de papeletas amarelas ou de juiz e bandeirinha, como aconteceu no campeonato carioca do ano passado, já estaria fazendo o maior "fuzuê". Lembro que o time do Obina sempre gostou de botar a camisa em cantores estrangeiros de churrascaria, tipo o francês Antoine que esteve no saudoso Festival Internacional da Canção (FIC), e pegar jogadores em final de carreira, como o goleiro russo Yashin, pra tirar fotos com a camisa do clube.

A diretoria do Botafogo deveria convidar Juvenal Antena para assistir a um treino ou um jogo e levar jogadores do Glorioso para visitar o cara na novela.

Mas lembrem-se: EU NÃO VEJO NOVELAS!

Em tempo: Antonio Fagundes não teve a sorte de torcer pro clube de Mané Garrincha, Nilton Santos, Jairzinho e muitos outros, mas a Flávia Alessandra, que é de capaz de acabar com qualquer minuto de silèncio, é botafoguense.

Acorda Bebeto!

"É ferro na boneca" e na caixinha de glub glub



Meu amigo de fé e de infância, meu irmão e camarada Sérgio Vasconcellos está lançando um blog. Não avisou pra ninguém pois acha que ainda é cedo pra divulgar. Mas sou repórter e como tal gosto de furos (epa!). Serginho é um dos caras mais criativos que conheço - e não é de hoje que ele é criativo. Quando era moleque lá no Grajaú criou uma boate chamada Oficina e pintou um quadro chamado "O mundo negro da bolinha branca". Publicitário, inventou um site chamado "Ovo neles!" e foi dar (entrevistas) até no Jô. Volto a contar histórias desse cara genial. Pô!, quase esqueço de dizer que ele é um dos inventores da Fluminense FM e do Rock in Rio. Vida longa pro Ferro do blog blog.
http://sergiovasconcellos.blogspot.com/

Em tempo: Sérgio Vasconcellos e o empresário Ricardo Amaral não são a mesma pessoa. Serginho é o assanhado com a língua de fora.

Mão boba é isso aí!


DEU NO UOL que "a jogadora Zhao Hui (centro) recebe marcação cerrada durante jogo de campeonato chinês em Pequim". Se a mocinha "atacada" fosse um pouquinho mais jeitosa poderia ser dito que a mão é mais esperta do que boba.

Aha uhu, o Castillo é nosso!


ESSE GOLEIRO que o Glorioso acaba de apresentar promete. O cara tem bom nível cultural, jogava num time grande do Uruguai (Peñarol) e na seleção uruguaia. Se juízes e bandeirinhas e o olho grande (ou gordo) das demais torcidas não atrapalhar, esse ano não vai ser igual àquele que passou.

Já os outros cariocas...

O time que saiu da terceira divisão pra primeira sem passar pela segundona contratou um monte de traíras (Dodô, Leandro Amaral e Conca, Conca, Conca), o que ganhou o carioca com a ajuda do juiz só contratou volantes e o outro não pode ser levado a sério pelo presidente e pelo técnico que tem.

Indústria da Multa 2008 - 1


A "INDÚSTRIA DA MULTA", todos sabem, é uma grande picaretagem oficial para arrecadar dinheiro para o Poder Público - em todos os níveis. Guardas municipais e PMs escondidos atrás de árvores, orelhões e esquinas com o objetivo único de multar; "pardais eletrônicos" que determinam a velocidade absurda de 40 km em esquinas e lugares perigosos (vide o caso recente do filho do médico lidio Toledo) e outros recursos desonestos são observados diariamente pelas ruas de todas as cidades, principalmente no Rio de Janeiro, onde vivo, raramente dirijo e há anos não cometo infrações de trânsito. Os jornais volta e meia publicam cartas de leitores indignados com esse tipo de recurso oficial. A partir de hoje, sempre que puder, vou publicar algumas dessas cartas e notícias em uma série. Não cabe apenas em um post.

Essas duas cartas foram publicadas no Globo de hoje.

Febeapá 2008 - Sergio Cabral Filho quer proibir garupa em motos


AH SE STANISLAW PONTE PRETA fosse vivo! Esses políticos não tomam jeito. Agora é o Serginho que quer proibir mnotociclistas e motoqueiros (há uma diferença sim) de dar carona em motocicletas. Típico caso de "tirar o sofá da sala". Justo ele que, como prova a foto de Custódio Coimbra republicada no Globo de hoje, pegou carona com um mototaxista quando estava atrás de votos. Mas aí é diferente, né?

...tem gente que não bebe e está morrendo...



Meu camarada PV mandou a colaboração. As imagens e o texto; e não a garrafa.

Holanda lança licores de maconha
Mas importação não está autorizada

"O governo da Holanda tem fama de ser o mais liberal do mundo em relação às drogas. Há praças públicas onde elas podem ser consumidas livremente. Gente que já esteve por aquelas bandas diz que o "espetáculo" é deprimente. Acredito. Mas duas empresas de Amsterdã resolveram ir além: lançam dois licores - o Squeeze Hennep e o Kierewiet - feitos com extrato de maconha. As novidades foram reveladas durante a feira internacional de bebidas Horecava. Os licores serão vendidos normalmente em supermercados e lojas especializadas. O porte de até 5 gramas de maconha por pessoa, a venda em estabelecimentos autorizados e o consumo são permitidos no país desde a década de 70. Não se anime, a importação não está autorizada".

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Pagando cofrinho de pai para filho


Essa foto eu pesquei no blog do jornalista e RP de Campinas Chris Mazzola. Lembrei de um antigo anúncio da caderneta de poupança Delfin, que dizia assim:
"Nesse Natal lembre-se de mim. Dê para quem ama um cofrinho da Delfin".

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Olhar literalmente "imperialista"


Está na capa da Folha de hoje. A voluntária Roberta Allen, da Califórnia, utilizou lentes de contato com a bandeira dos EUA, no embate inicial da eleição do próximo presidente. Que, espero, não seja republicano. É cada uma que aparece.

E com licença que eu vou estudar. Até mais tarde.

É vascaína e também foi vice


E essa moça do BBB que está na capa do Extra!? Li que ela participou de um concurso de musas e ficou em...
segundo lugar.
Eita sina!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Esse Túlio Souza promete


O tal do Tulio Souza já vestiu a camisa do clube mais charmoso do Brasil. Como os outros dois "Túlios" que deram certo no clube, tomara que esse brilhe também. Vi alguns lances do cara na telinha e gostei. Estou preocupado é com o goleiro. O Castillo, que tem nome de goleiro, está tirando uma de "marrento" e a diretoria está falando em contratar um tal de Peçanha, que tem nome de gerente de banco. E aquele orelhudo, o Fábio, com um brinco em cada orelha?! Sei não. Junto com o Marcelinho, ex-Vasco, pode assustar os beques adversários. Mesmo assim acho que o tal do Marcelinho pode acertar jogando com o Cuca. Tem raça, é folgado. Só acho que reclama muito dos juízes. No Botafogo ele vai sofrer com as arbitragens; é preciso ter calma.

Aumento de impostos. Nessa o Lula pisou na bola. O PFL e o PSDB estão adorando

Boa análise da Eliane Cantanhêde na Folha de hoje.

É caso de caixa, não de saúde
ELIANE CANTANHÊDE
BRASÍLIA - Lula usou o primeiro dia útil do ano para deflagrar duas operações de recuperação: uma, dos R$ 38 bilhões perdidos com o fim da CPMF; outra, da imagem e da auto-estima do ministro Guido Mantega, que ele próprio tinha desautorizado publicamente.
Ficou o dito pelo não-dito. Ou melhor, o não-dito do dito pelo não-dito. Mantega anunciou que haveria aumento de impostos e cortes para compensar a CPMF. Lula deu-lhe um carão, negando o óbvio. Agora, foi o próprio Mantega quem foi à TV para dizer que ele estava certo. Logo, Lula blefara.
E a sensação é de que os aumentos do IOF e da CSLL, que incidem sobre operações financeiras, são apenas a primeira parte da história. Lá pelo meio do ano deverá haver uma reavaliação, com mais "novidades". Depende da vitalidade da economia. Preparem os bolsos.
Sim, porque o discurso oficial é de que os bancos foram chamados a pagar a conta, mas não é bem assim. Quem paga IOF não é o banco, é o tomador do crédito. E o peso da CSLL vai acabar caindo sobre o preço do produto. Alguma dúvida?
A favor do governo, não havia muita alternativa. Corte de R$ 38 bilhões corresponde a redução de superávit fiscal, corte drástico de despesas e/ou aumento de impostos. O equilíbrio desse tripé varia de acordo com o freguês. Como o governo decidiu corretamente não mexer no superávit fiscal e sempre faz apologia da gastança, o aumento de impostos era inevitável.
Agora, é acompanhar os tais cortes anunciados de R$ 20 bilhões. Calculadoras da Esplanada dos Ministério estão a mil, e já há general pensando em convocar o Alto Comando do Exército para defender o tão prometido "reequipamento" (com aumento do soldo, claro).
Por falar nisso, onde foi parar a promessa de garantir os recursos extras da Saúde? Virou uma "equação futura". O problema é de caixa, não de saúde, manjou?

Segurança não tem, mas "pardal" tem


Meu camarada Jorge Antonio Barros fotografou e botou no blog "Repórter de Crime" a estrada do Alto da Boa Vista sem segurança. Como sempre. Mas o "pardal" pra arrecadar dinheiro está lá, bonitinho. Marcando o limite de 40 kms. Essa velocidade eu faço a pé entre a cozinha e a sala da minha casa.
Chega de picaretagens pra arrecadar dinheiro da população. Vamos trabalhar sério. E ainda tem gente que defende. É porque nunca teve um revólver apontado pra cabeça.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Acorda, Romário!


Deu no Dia online. Falta meia hora. Será que ele vai chegar a tempo?

Amazonense ruim de roda


Deu no UOL. Aconteceu em Manaus. Ou foi goró ou foi carteira comprada.
Foto: Marcio James/A Crítica/AE

Ué, o fim da CPMF não ia ser bom pra quem ganha pouco?


Nada entendo de economia, mas saco um pouco de política e sei bem de onde surgiram PFL, Agripino Maia, Rodrigo Maia, Antonio Carlos Magalhães e cia. E conheço bem a revista Veja atual e seus diogos mainardis. Pombas, se essa "raça", expressão usada pelo pefelista Bornhausen, foi a favor do fim da CPMF, é claro que isso não poderia ser bom para os pobres. Foram eles que ajudaram a criar o imposto e agora votaram contra por picuinha, para prejudicar o governo do Partido dos Trabalhadores e o Lula.

Curiosa a notícia publicada agora há pouco no Globo. A Elite deve estar adorando.

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

A picaretagem e irresponsabilidade dos "pardais" de trânsito


A Grande Imprensa não vai fazer campanha contra os "pardais" porque tem interesses muito poderosos por trás da comercialização desses instrumentos de picaretagem e de arrecadação de dinheiro. Mesmo assim reparem no texto publicado no site G1. O filho do Lídio Toledo foi assaltado porque reduziu a marcha do carro próximo ao radar, como quase todos os motoristas fazem. Dizem que não é a primeira vez que isso acontece no local. Volta e meia há registros de assaltos por causa dos pardais.

Tá rolando um debate sobre o assunto no blog "Repórter de Crime".
http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/

Acho que é o momento de o povo se unir contra a picaretagem da "INDÚSTRIA DA MULTA".

Assalto no Alto. Culpa da "Indústria da Multa". E agora?


Muita gente que mora no Grajaú, Tijuca, Vila Isabel e bairros próximos prefere subir o Alto da Boa Vista, para ir à Barra da Tijuca, com medo de passar pela Estrada Grajaú-Jacarepaguá. A estrada nunca tem policiamento e quando a PM está presente é para fazer aquelas "blitzen" que todos conhecem. Só querem saber se o IPVA foi pago ou se o extintor de incêndio está vencido. Como fazem diariamente no Maracanã, próximo ao Viaduto Oduvaldo Cozzi. Autoridade pública só quer moleza para faturar. As multas de trânsito são uma mina de ouro.

Acabo de passar pela estrada do Alto, por volta de 19h30. Não tinha policiamento. Mas o "pardal" estava funcionando. Um absurdo determinar a velocidade de apenas 40km naquele local. O objetivo, claro, é FATURAR com a INDÚSTRIA DA MULTA.

E agora? Depois do que aconteceu com o filho do ex-médico do Botafogo e da Seleção Lídio Toledo ainda vão manter aquele pardal picareta para faturar "um troco" dos motoristas?

Como devia ser bom o Alto da Boa Vista da época dessa foto!

Esqueci de contar que na ida passei pela Grajaú-Jacarepaguá, por volta de 18h. Também não tinha policiamento, mas o "pardal" estava funcionando.

O filho do Beckham


O nome do moleque é Brooklyn, tem 8 anos e é o mais velho dos três filhos do David. O pai garante que ele consegue fazer 64 'embaixadinhas' sem deixar a bola cair. Agora, uma perguntinha: você que leu este post jura mesmo que prestou atenção no garoto? Foi pra ele que você olhou primeiro?

Maldito careca! Tinha que ficar na frente da Vitória?

Foto: AP

EM OBRAS


Tiburcio está finalizando a roupa nova do blog.